04 de agosto de 2020 Atualizado 11:57

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

ESTELIONATO

DIG de Americana prende três homens por golpe de falso leilão em Santa Bárbara

Eles são acusados de integrar quadrilha que vende veículos inexistentes; polícia sabe de aproximadamente 70 vítimas pelo Brasil

Por Rodrigo Alonso

02 jul 2020 às 21:59 • Última atualização 02 jul 2020 às 22:09

A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Americana prendeu nesta quinta-feira (2), em Santa Bárbara d’Oeste, três homens acusados de integrar uma quadrilha que realiza leilões falsos de automóveis.

Segundo a corporação, o grupo fez vítimas em diferentes locais do Brasil, inclusive em Americana e Hortolândia.

Dinheiro obtido de forma ilícita foi apreendido pela polícia – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

A delegacia tem informação de, aproximadamente, 70 pessoas lesadas por essa organização criminosa, desde o Rio Grande do Sul até Pernambuco. Os bandidos, em suma, vendem veículos que não existem.

Nesta quinta, três envolvidos foram presos em flagrante numa agência bancária localizada no Centro de Santa Bárbara.

Um deles, de 48 anos, tinha R$ 32 mil na conta. O dinheiro era proveniente de uma venda falsa de automóvel. Esse homem estava tentando fazer saques sucessivos e transferir uma quantia para outra conta.

O acusado agia como “laranja”, de acordo com José Donizeti de Melo, delegado da DIG. O indivíduo é o dono da conta bancária disponibilizada para a transação e, como recompensa, receberia 10% do valor total.

Delegado José Donizeti de Melo comanda as investigações – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

“Ele é daqueles que apenas recebem o dinheiro. Usa a conta boa dele para lavar o dinheiro que foi conseguido ilicitamente, mas tem plena consciência disso, sabe que está recebendo uma vantagem ilícita”, diz a autoridade policial.

A delegacia também deteve o filho dele, de 27 anos, e um outro homem, de 28, que seria o responsável pela “contratação” do laranja. Os dois estavam em frente ao banco no momento da ação policial. O delegado indiciou o trio por estelionato e formação de quadrilha.

A DIG se dirigiu ao local após ser avisada pelo estabelecimento de que um homem tentava fazer uma transação suspeita. A delegacia já investigava a quadrilha há dois meses e havia pedido ajuda aos setores de segurança das agências bancárias da região.

A corporação tomou a frente das investigações porque o principal site de leilão usado pelo grupo, chamado Pátio Leilões, está sediado em Americana. “Muitas dessas vítimas chegaram até a vir a Americana para retirar o veículo, só que aqui não tinha veículo”, afirma o delegado.

A DIG também identificou outros sites utilizados pela organização criminosa, como o leiloesdetransc.org, que usa a mesma identidade visual do Detran (Departamento Estadual de Trânsito) de Santa Catarina, e o mistralleilao.com.

A delegacia aponta que a quadrilha possui receptores de dinheiro de Sul a Norte do País. A corporação tenta, agora, encontrar os líderes do grupo.