16 de julho de 2020 Atualizado 09:40

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Caged

Demissões para o mês de abril são as maiores na região desde 2007

Saldo das cinco cidades da Região do Polo Têxtil aponta para o fechamento de 5,4 mil postos de trabalho no mês

Por Marina Zanaki

28 Maio 2020 às 08:33 • Última atualização 28 Maio 2020 às 11:10

A RPT (Região do Polo Têxtil) perdeu 5.409 postos de trabalho no mês passado. Esse foi o mês de abril com pior resultado desde 2007, início da série histórica do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

A cidade com pior saldo é Americana – foram 996 admissões e 2.913 desligamentos, totalizando um saldo negativo de 1.917 empregos.

Em março, o saldo também foi negativo na RPT, com o fechamento de 1.725 vagas de trabalho.

Alexandra foi demitida em março e agora procura uma recolocação – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Professora e economista do Observatório da PUC-Campinas, Eliane Rosandiski definiu o número de demissões na região como “assustador”.

Ela alertou que o saldo negativo pode seguir aumentando, já que os contratos suspensos ou reduzidos por conta da crise do coronavírus podem se transformar em demissões em seguida.

A economista não defende que a solução para a crise econômica seja flexibilização da quarentena antes que a pandemia esteja controlada. Ela disse que a aposta deve ser em medidas de proteção às empresas, como políticas de crédito, subsídio para pagamentos de impostos e empréstimos a taxas baixas.

“Medidas deveriam ter sido tomadas para manter a renda, para manter ativa a demanda mesmo em condição de isolamento, e medidas muito intensas para proteger os pequenos empresários, que são os que mais empregam e os que mais sofrem ao ficar com a loja fechada”, afirmou.

Alexandra Silva de Souza, de 39 anos, foi demitida em março da empresa têxtil onde atuava há quase três anos, em Americana.

“Eu queria estabilidade de dois meses, mas a patroa disse que não teria condições para me manter. A gente fabricava os mostruários para tapeçaria, e dependia de outra empresa para ter pedidos. Como os clientes dela não estavam tendo pedidos, afetou a gente”, contou Alexandra nesta quarta-feira.

Ela tem uma filha de 4 anos e, por enquanto, a renda da família está contando com o salário do marido e com o seguro desemprego de Alexandra.

Os dados do Caged voltaram a ser divulgados após quatro meses por problemas na prestação de informações por parte das empresas, mas os dados municipais por setor não foram divulgados.

Podcast Além da Capa
Solidariedade e apoio aos necessitados marcam a luta contra o novo coronavírus (Covid-19) nas periferias da RPT (Região do Polo Têxtil). O LIBERAL visitou moradores do acampamento Roseli Nunes e da favela Zincão, em Americana, e da ocupação Vila Soma, em Sumaré, e observou como eles se unem para enfrentar as dificuldades provocadas pela pandemia. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira recebe o repórter André Rossi, que esteve nas comunidades, para repercutir essa apuração.