08 de março de 2021 Atualizado 22:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

VACINAÇÃO

Como foi o primeiro dia de aplicação da CoronaVac na região

Com a chegada do primeiro lote, cidades da RPT já vacinam os primeiros profissionais de saúde que atuam na linha de frente

Por André Rossi

22 jan 2021 às 07:30 • Última atualização 22 jan 2021 às 07:37

A vacinação contra o novo coronavírus (Covid-19) começou oficialmente nesta quinta-feira nas cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil).

As 10.620 doses do primeiro lote da CoronaVac foram recebidas pelos municípios entre a noite de quarta e a manhã de quinta, o que antecipou o início da imunização, agendada originalmente para o dia 25 de janeiro.

Essa primeira remessa enviada pelo Governo do Estado só é suficiente para imunizar 8,4% do público alvo da primeira etapa, que incluía profissionais de saúde e idosos. Por contra da escassez de doses, a orientação estadual é para que sejam priorizados profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate à pandemia.

A enfermeira Helen, de 24 anos, que inaugurou a vacinação nesta quinta, em Americana – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Em Americana, a primeira vacinada foi a enfermeira Helen Carolina Andrade de Souza, de 24 anos, que atua no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi. A ação foi realizada no auditório do local.

Helen disse que o início da vacinação era um momento muito esperado por todos os profissionais, que tiveram um 2020 “muito intenso” no atendimento às vítimas da doença.

“Nossos pacientes demandam muito cuidado. Desde o início, de quando tudo começou, a gente tem trabalhado muito. Tanto a equipe de enfermagem quanto a equipe médica. Precisa se dispor muito para cuidar desses pacientes”, contou a enfermeira.

“É uma felicidade imensa ter participado da primeira etapa da vacinação e espero que logo esteja disponível para todos nós”, comentou Helen.

Outras quatro doses também foram aplicadas em profissionais de diferentes setores. São eles: a técnica de enfermagem Maria Ivone de Oliveira, de 50 anos; a fisioterapeuta Ana Villa Chan, de 34 anos; o servente hospitalar Adolfo Inácio dos Santos de Campos, de 38 anos; e o médico emergencista Humberto Sabbadim, de 58 anos.

Americana recebeu 3 mil doses nesta quinta-feira, por volta das 12 horas. A entrega foi feita na Vigilância Epidemiológica, acompanhada do secretário de Saúde, Danilo Carvalho Oliveira, e do vice-prefeito Odir Demarchi (PL).

De acordo com o secretário, três mil profissionais de saúde serão vacinados nos próximos dias, o que equivale a 40% dos trabalhadores do setor.

Prefeito de Americana, Chico Sardelli (PV) se disse esperançoso com o início da vacinação, apesar da quantia limitada de doses. Ele esteve em São Paulo durante a manhã e disse ter feitos contatos com o governo paulista para se inteirar sobre os próximos lotes.

“Infelizmente o destino nos trouxe isso, esse vírus ele existe e nós estamos aqui para trabalhar e debelar com ele; e sem vocês da saúde isso seria impossível”, afirmou Chico, se dirigindo aos profissionais imunizados.

A técnica de enfermagem Darlly recebeu a CoronaVac em Santa Bárbara – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Santa Bárbara d’Oeste recebeu 1.560 doses da CoronaVac na noite de quarta-feira. A vacinação teve início na manhã de quinta e a técnica de enfermagem Darlly Vanessa Alves Chagas, de 33 anos, foi a primeira pessoa a ser imunizada no município.

A profissional atua no Hospital de Campanha montado no campus da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba). O espaço foi escolhido para dar início à imunização na cidade.

“Tem sido um trabalho árduo, mas a gente acredita que o amanhã vai ser um novo dia e tudo isso vai passar e melhorar. […] É um alívio receber a dose, mas só dá para comemorar quando toda população puder receber a vacina”, comentou Darlly.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O prefeito do município, Rafael Piovezan (PV), garantiu que a secretaria de Saúde está selecionado de forma criteriosa os que serão imunizados nos próximos dias. “Ainda estamos nos organizando, mas a intenção é daqui a pouquinho visitar alguns pontos e vacinar in loco alguns profissionais”, ressaltou.

Jéssica Alves Morelato foi a primeira vacinada em Nova Odessa – Foto: Prefeitura de Nova Odessa / Divulgação

Já em Nova Odessa, as 360 doses chegaram na madrugada de quinta. No fim da tarde de ontem, a enfermeira Jéssica Alves Morelato, de 25 anos, foi a primeira vacinada. A aplicação ocorreu na Unidade Respiratória do Jardim Alvorada.

“Eu me sinto privilegiada por ter sido a primeira. Sinto que que o pessoal da saúde dá importância pra gente. Me sinto bem, feliz, tranquila, porque agora a gente pode trabalhar mais protegida”, celebrou Jéssica.

Ao todo, 50 profissionais serão imunizados na UR em dois plantões, entre a noite de quinta e a manhã de sexta-feira.

O prefeito Ângelo Perugini em vacinação em Hortolândia – Foto: Prefeitura de Hortolândia / Divulgação

Em Hortolândia, o técnico de enfermagem Silvio Carlos Palmiro, de 58 anos, foi o primeiro vacinado. Ele é um dos técnicos da Unidade Respiratória e trabalha na linha de frente no combate à doença desde o início.

Palmiro tem um filho com Covid-19, que está internado no mesmo local onde trabalha. Após ser vacinado, o enfermeiro ressaltou a importância da população se conscientizar sobre a necessidade da vacinação e que essa é a única maneira da população deixar de ser “escrava” da máscara.

As primeiras doses do imunizante chegaram na noite desta quarta-feira em Hortolândia. Nessa primeira remessa, foram 2.840 doses repassadas, que serão aplicadas em 1.420 profissionais da saúde. A ideia é já garantir a segunda dose para os trabalhadores.

Prefeito Luiz Dalben e o pai, o deputado Dirceu Dalben, acompanham imunização em Sumaré – Foto: Prefeitura de Sumaré / Divulgação

E a técnica de enfermagem Carolina Lopes, de 35 anos, foi a primeira vacinada em Sumaré. A cidade recebeu 2.860 doses.

Carolina trabalha na Atenção Básica de Saúde de Sumaré e atua no “gripário” da Unidade de Saúde do Florely.

Publicidade