15 de janeiro de 2021 Atualizado 23:56

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Com aumento de casos, restrições devem começar em atividades de lazer

Governo estadual deve atualizar o Plano São Paulo na próxima segunda-feira e Centro de Contingência da Covid-19 já sugeriu restrições

Por Marina Zanaki

27 nov 2020 às 08:25

Uma nova reclassificação do Plano São Paulo está marcada para próxima segunda, e o Centro de Contingência da Covid-19 já sugeriu restrições para tentar conter o avanço da pandemia. Elas devem se concentrar nesse primeiro momento em atividades de lazer.

Coordenador do Centro de Contingência, José Medina reconheceu um aumento nos registros de casos positivos em laboratórios, principalmente entre jovens.

“No início da pandemia, uma das primeiras restrições foi à atividade escolar. Agora estamos imaginando que, se tiver que fazer, será concentrada nas atividades de lazer, tentando preservar atividade escolar, que foi aquela que mais teve prejuízo social”, disse.

Secretário executivo do Centro, João Gabbardo disse que a responsabilidade sobre controle da pandemia é compartilhada com a população.

“As pessoas muitas vezes ficam aguardando que vamos resolver por decretos, leis e determinações. Mas o controle da epidemiologia tem que ser compartilhado entre o poder público e a sociedade. Não será através de decreto que vamos impedir que as famílias façam confraternizações em suas casas”, declarou.

Tanto o governador João Doria (PSDB) quanto os médicos do Centro de Contingência sinalizaram que mudanças no Plano São Paulo que podem ocorrer na segunda serão heterogêneas, considerando a situação em cada região.

A região de Campinas, da qual Americana faz parte, tem ocupação de 50% dos leitos de UTI, abaixo dos 70% que em tese poderiam colocá-la na fase amarela. Contudo, a reclassificação considera outros critérios, como novos casos, novas internações e mortes.

Ocupação de leitos
A ocupação dos leitos com respirador exclusivos para atendimento de pacientes com o novo coronavírus (Covid-19) voltou a crescer no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana. Do total de 17 leitos, oito estavam com pacientes nesta quinta-feira, uma taxa de ocupação de 47%.

Americana tem 27 moradores internados em leitos exclusivos para coronavírus – seja na rede pública ou privada, dentro ou fora do município. Desse total, 12 testaram positivo e 15 aguardam resultados de exames.

Publicidade