Cidades estão em alerta para doenças ligadas a alagamentos

Uma das doenças que mais preocupam nesse contexto é a leptospirose; orientação é que as famílias façam limpeza da residência com água sanitária


Os serviços de saúde das prefeituras da região estão em alerta para o risco de doenças transmitidas por água insalubre após os alagamentos provocados pelas fortes chuvas no final de semana. Até o momento, contudo, não há nenhuma notificação de doenças como leptospirose, esquistossomose, hepatites, tétano e viroses entre as famílias que tiveram contato com a água.

Foto:
38 famílias de Sumaré precisaram ser abrigadas em decorrência dos alagamentos

A Prefeitura de Sumaré informou que profissionais de todas as unidades de saúde passaram por uma atualização sobre as doenças e foram orientados a estarem atentos para ocorrência de sintomas. Já foram realizados 98 atendimentos médicos e de enfermagem nos abrigos onde estão as pessoas que tiveram as casas alagadas. 38 famílias precisaram ser abrigadas no município.

“É de extrema importância reforçar as orientações junto aos nossos colaboradores neste momento para que possam identificar precocemente os sinais de doenças como a leptospirose e dar início ao tratamento o mais rápido possível”, explicou o secretário municipal de Saúde de Sumaré, Rubens Gatti.

A Vigilância Epidemiológica de Americana informou que não há nenhuma ação específica voltada para as residências afetadas, mas que os profissionais da área assistencial são orientados a se atentar sobre os sintomas para determinadas doenças durante períodos de incidência de chuvas.

Hortolândia informou que está produzindo material informativo para ser distribuído à população com orientações sobre doenças. Na cidade, 59 imóveis sofreram danos com alagamentos ou infiltração. Nova Odessa foi procurada, mas não respondeu.

LEPTOSPIROSE. Uma das doenças que mais preocupam nesse contexto é a leptospirose. A orientação é que as famílias façam limpeza dos locais atingidos com água sanitária. Os sintomas são febre, dor de cabeça e dor muscular, tosse e manifestações gastrointestinais. O período de incubação da leptospirose é, em média, de 5 a 14 dias após o contato com a água contaminada, e os sintomas aparecem após esse período.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!