20 de setembro de 2020 Atualizado 20:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Cerca de 1 mil veículos participaram de carreata pró-comércio, segundo organização

Manifestantes pediam a reabertura do comércio; ação começou às 14h10 e terminou por volta das 16h30, em Campinas

Por Rodrigo Alonso

30 abr 2020 às 18:35 • Última atualização 30 abr 2020 às 19:13

Aproximadamente 1 mil veículos participaram da carreata pró-comércio realizada nesta quinta-feira (30) em Americana, segundo estimativa da organização. Os manifestantes pediam a reabertura do comércio, que está fechado desde 24 de março por força de um decreto estadual, motivado pela pandemia do coronavírus.

A movimentação teve início na Avenida Antonio Pinto Duarte, no portal da cidade, às 14h10. Os automóveis foram até Campinas pela Rodovia Anhanguera (SP-330) e terminaram o percurso por volta das 16h30. Não houve registro de incidentes durante o protesto.

Havia carros, caminhões, vans e motocicletas. A manifestação foi acompanhada pela PM (Polícia Militar) e pela PMR (Polícia Militar Rodoviária). A polícia não contabilizou o número de veículos.

“Acho que a adesão foi muito grande e superou as expectativas. Foi muito pacífico, muito bacana. A organização que a polícia conseguir nos dar, de segurança, foi também maravilhosa, e a gente só tem a agradecer”, disse Michel David, de 41 anos, um dos organizadores e empresário do setor têxtil.

Carreata seguiu até Campinas – Foto: João Carlos Nascimento – O Liberal

Segundo o governo estadual, a partir do dia 11 de maio, o comércio reabrirá gradualmente. Um dos objetivos da carreata desta quinta é que essa retomada atinja o maior número de setores possível.

“O que a gente quer é que esse programa seja o mais amplo possível dentro das possibilidades de fazê-lo com segurança à saúde e à vida. Então, é uma tentativa de influenciar nessa decisão, para que ela realmente aconteça e que possa dar maior chance possível, com segurança, de os empregos serem preservados através da volta do comércio”, afirmou.

OUTRO LADO
Em nota, o governo estadual comunicou que “defende o direito à livre manifestação, mas lamenta que ela seja a favor de uma pandemia que já matou, até o momento, 2.247 pessoas no Estado”.

Protesto pediu a reabertura do comércio no Estado de São Paulo – Foto: João Carlos Nascimento – O Liberal

De acordo com o governo, a quarentena tem como intuito a preservação da vida e é essencial para que o sistema de saúde comporte a demanda de pacientes com Covid-19.

“O Estado mantém o diálogo com a população e setores de comércio e serviços e prepara um plano de ação de reabertura das atividades, a ser implementado de forma gradual e regionalizada. Também já liberou mais de R$ 650 milhões em empréstimos subsidiados para auxiliar empresas a enfrentar a crise e concedeu incentivos a optantes do Simples Nacional, que terão prazo adicional de 90 dias para pagar o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) devido”, apontou.

Publicidade