Casos de dengue em Americana são os menores desde 2009

A tendência de diminuição nas ocorrências também foi verificada nas demais cidades da Região do Polo Têxtil


A cidade de Americana teve 14 casos de dengue no ano passado, menor número desde 2009. Naquele ano haviam sido confirmados 8 registros da doença, de acordo com informações da prefeitura. A tendência de diminuição nas ocorrências também foi verificada nas demais cidades da RPT (Região do Polo Têxtil). No total, foram 227 casos na soma dos cinco municípios, uma diminuição de 92% em relação a 2016.

A infectologista Ártemis Kílaris disse que a diminuição pode estar relacionada ao sorotipo da doença que está circulando. Ela explicou que quem se contaminou com um dos quatro sorotipos não o contrai novamente, ficando suscetível apenas aos outros três. “É possível ter dengue apenas quatro vezes na vida, e nos anos anteriores uma grande parte da população já foi vítima da doença”, disse.

Ela alertou que mesmo com a queda no número de casos, as pessoas precisam estar atentas. A grande quantidade de chuva registrada nas últimas semanas pode facilitar os criadouros, segundo ela, e não é possível dizer como a dengue vai se comportar em 2018.

Nos últimos dois anos, nenhuma morte da doença foi registrada na RPT. Em 2015, ano com número recorde de contaminações, com 29.968 casos, foram 38 mortes. Em 2014 foram 12 e em 2013, 10. Para a infectologista, o fato de não ter havido nenhuma morte pode ter ocorrido não só pela diminuição de casos, mas também pela circulação de um sorotipo menos letal. Na soma de casos em 2015 não foi considerada Nova Odessa, já que a prefeitura não informou quantos casos foram naquele ano.

No final de 2015, uma vacina contra a dengue foi aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mas o alto custo e a pouca eficácia do produto fizeram com que a adesão entre a população fosse baixa.

Cada dose custa entre R$ 300 e R$ 400, e é necessário aplicá-la três vezes para estar imunizado. A eficácia varia entre 50% e 55% . “Essa vacina contra a dengue só tem em clínicas particulares, poucas pessoas tiveram acesso, e por coincidência ela passou a ser comercializada em 2016, ano em que a incidência da doença já vinha diminuindo. A vacina foi um fracasso”, disse Ártemis.

No final de 2017, a Anvisa publicou um comunicado recomendando que a vacina não fosse tomada por pessoas que nunca contraíram a doença.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!