Campanha do Agasalho tem mais de 290 pontos de coleta

Campanha vai arrecadar, até o final de julho, agasalhos e cobertores para serem doados às entidades que atendem famílias e moradores de rua


Desde o lançamento da Campanha do Agasalho 2018, em abril e maio, os Fundos Sociais de Solidariedade dos municípios da RPT (Região do Polo Têxtil) contabilizaram mais de 290 prédios públicos e estabelecimentos parceiros, que disponibilizaram espaço para a colocação de caixas de coleta. A campanha vai arrecadar, até o final de julho, agasalhos e cobertores para serem doados às entidades assistenciais que atendem famílias e moradores de rua em situação de vulnerabilidade social.

“Nossa campanha vem crescendo a cada ano. Em 2017, arrecadamos 70 mil peças de roupas e devido à grande quantidade de doações, neste ano, convidamos entidades assistenciais da cidade para participarem. Elas receberam nossas caixas e ficarão com todos os materiais arrecadados”, declarou a presidente do Fundo Social de Solidariedade de Americana, Maine Najar. O município conta com 29 pontos de arrecadação, entre eles as agências do Banco Santander e a rede de supermercados São Vicente.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Campanha do Agasalho de 2018 tem mais de 290 pontos de coleta nas cinco cidades da Região do Polo Têxtil

Em Santa Bárbara d’Oeste, na medida em que as peças são arrecadadas, o Fundo Social de Solidariedade encaminha para o Cras (Centro de Referência de Assistência Social), NAS (Núcleos de Atendimento Social) e entidades assistenciais do município, que dispõe de 45 pontos de coleta, entre eles a própria prefeitura e a Câmara Municipal.

Na cidade de Nova Odessa, a expectativa do Fundo Social é superar as 6.643 peças arrecadadas no ano passado. Para isso, o município possui 70 pontos de coleta instalados em todos os postos de saúde, escolas, supermercados, academias, empresas, igrejas e repartições públicas.

Em Hortolândia, as doações serão destinadas às entidades atendidas pelo Banco de Alimentos, por meio do programa Cidadão Solidário. Atualmente, 31 entidades são cadastradas no Banco de Alimentos e, juntas, atendem 3,5 mil pessoas em situação de vulnerabilidade social. As peças podem ser doadas em supermercados e escolas municipais, um total de 50 pontos.

Com mais de 100 pontos de coleta espalhados por toda a cidade, Sumaré distribuirá os itens arrecadados às famílias de baixa renda por meio de lojas solidárias montadas nos oito Cras. Nesses locais, as famílias podem escolher as peças que melhor atendam suas necessidades.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!