Campanha contra sarampo aplica 885 doses na 1ª semana

Região realizará Dia D da campanha de vacinação no próximo sábado, dia 19


Na primeira semana da campanha de vacinação contra sarampo, que tem como público-alvo crianças entre seis meses e cinco anos, 885 pessoas foram protegidas na região. No próximo sábado, será realizado o Dia D da campanha, com parte dos postos de saúde abertos.

A RPT (Região do Polo Têxtil) tem 25 casos confirmados, todos sem complicações, e investiga ao menos outras 126 notificações.

A cidade que teve mais doses aplicadas na primeira semana da campanha foi Santa Bárbara d’Oeste – foram 304 vacinas no público-alvo e outras 426 em pessoas mais velhas, mas que procuraram os postos de saúde e identificaram que não haviam recebido a quantidade de doses indicada.

Para efeito de comparação, na semana anterior – ou seja, antes do início da campanha – a cidade havia aplicado 281 doses nas crianças menores de cinco anos e 596 no restante do público. A cidade tem cinco casos confirmados de sarampo e 27 em investigação.

Americana aplicou 155 doses no público-alvo. No sábado, seis unidades de saúde estarão abertas para aplicar a vacina – Mathiensen, Zanaga, São Vito, Parque da Liberdade, Praia Azul e Jardim São Paulo. A cidade tem quatro casos confirmados (dois deles importados) e investiga outros 21.

Nova Odessa aplicou 111 vacinas na primeira semana da campanha, e é a única na região sem nenhum caso confirmado.

Por outro lado, Hortolândia e Sumaré têm oito casos confirmados cada uma e 78 casos suspeitos (40 em Hortolândia e 38 em Sumaré). Nessas cidades foram aplicadas, respectivamente, 162 e 153 doses na primeira semana.

Recomendação

A campanha tem por objetivo vacinar crianças que não estejam com o calendário vacinal em dia, que prevê a primeira dose com um ano de idade e a segunda aos 15 meses. Além disso, bebês com mais de seis meses devem receber a “dose zero”.

A intensificação em crianças ocorre porque são mais suscetíveis a complicações.

Os principais sintomas são tosse, dores nas costas, olhos vermelhos e manchas pelo corpo. A persistência da febre pode indicar gravidade, com risco de lesões cerebrais e podendo levar à morte.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora