Auxiliar de vendas é agredida por travesti em boate de Piracicaba

Agressor teria acusado a vítima, que mora em Santa Bárbara, de se relacionar com homem casado


Uma americanense de 29 anos afirmou ter sido agredida por um travesti em Piracicaba, na madrugada deste domingo (23). Ela registrou boletim de ocorrência sobre o caso na Delegacia de Plantão de Santa Bárbara d’Oeste, cidade onde reside.

A mulher, que trabalha como auxiliar de vendas, contou que foi abordada por dois travestis dentro de uma boate, conforme consta no registro policial. Os dois teriam acusado a vítima de ter relacionamento com um homem que é casado com uma amiga deles.

A americanense negou a acusação e disse que os dois a confundiram com outra pessoa. Em seguida, um dos travestis teria batido no peito da auxiliar de vendas. “Acho que eles queriam confusão, ou me confundiram”, declarou, ao LIBERAL.

Em determinado momento, dois homens desconhecidos contiveram a confusão. “Meio que foi um anjo que apareceu lá. Senão, não sei o que aconteceria”, comentou a vítima, que, no momento da agressão, estava sozinha, pois a amiga havia ido ao banheiro.

Ela afirmou que, na saída da boate, chegou a ser ameaçada pela dupla. “A gente entrou no carro com medo de apanhar. Porque eram dois homens, né? Eles eram altos”.

O atrito continuou depois da festa, no Facebook. A americanense relatou o caso por meio de uma publicação na página da boate. Na postagem, um dos travestis a chamou de “mentirosa”, voltou a acusá-la de ter relacionamento com homem casado e disse: “Quem dera tivesse apanhado mesmo”.

A Polícia Civil registrou o caso como “vias de fato”, por volta das 5 horas, e determinou o encaminhamento da ocorrência para o 2º DP (Distrito Policial) de Piracicaba, unidade responsável pelo local do ocorrido.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!