24 de maio de 2022 Atualizado 14:06

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Região

Aumento de casos de Covid-19 volta a afetar atendimentos em bancos da região

Bancos de Americana e Santa Bárbara tem suspendido atendimentos ao público, de maneira pontual, por conta de funcionários que testaram positivo

Por Maria Eduarda Gazzetta

18 Janeiro 2022, às 19h32 • Última atualização 19 Janeiro 2022, às 08h48

Agência da Caixa, localizada na Avenida Cillos, precisou ser fechada após um caso positivo - Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

O avanço nos casos de Covid-19 voltou a afetar agências bancárias em Americana e Santa Bárbara d’Oeste. Bancos dos dois municípios têm suspendido atendimentos ao público, de maneira pontual, por conta de funcionários que testaram positivos para a doença.

Em Santa Bárbara, só nos primeiros 18 dias de janeiro, o Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região, aponta que 15 funcionários de várias agências da cidade foram afastados após resultados de exames positivos para a doença. Cinco deles são funcionários do Banco do Brasil, um da Caixa, outro do Santander, três do Itaú e cinco do banco Bradesco. Todas as agências seguem operando normalmente.

Em Americana, o Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, não soube precisar o número de colaboradores afastados neste ano. No entanto, na última segunda-feira (17) a agência da Caixa, localizada na Avenida Cillos, precisou ser fechada após um caso positivo para a Covid-19. O atendimento foi retomado nesta terça, após higienização do prédio.

A agência do Itaú, também na Avenida Cillos, foi fechada temporariamente após um profissional ser afastado com suspeita para o vírus. O prédio será reaberto, nos próximos dias, após higienização no local.

A presidente do sindicato de Campinas, Ana Stela Alves de Lima, relata que a instituição tem negociado com os bancos, desde o início da pandemia, que protocolos sejam adotados para o cuidado dos bancários. “Cada banco faz o seu protocolo. A gente toma conhecimento [de casos positivos] e orienta os gestores a trabalharem com esses cuidados”, explicou.

O sindicato que abrange as agências de Santa Bárbara informou ao LIBERAL que desde o início da pandemia causada pelo coronavírus, foram estabelecidos protocolos de segurança, como disponibilização de álcool e máscara para os funcionários. Além disso, foi firmado um acordo em que profissionais com comorbidades e que moram com pessoas do grupo de risco, pudessem realizar o trabalho remotamente.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Entretanto, algumas agências não disponibilizaram, ainda, itens como divisórias acrílicas em baias de atendimento e máscara de proteção para o rosto.

A instituição deve cobrar esses materiais das agências e deve rever o protocolo para as unidades orientarem os clientes a realizarem os serviços de forma online e por aplicativo, para evitar aglomeração nas unidades.

Publicidade