28 de junho de 2022 Atualizado 21:56

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

REAJUSTE

Apaes irão receber R$ 536 por aluno com novo reajuste

Apesar de ser uma verba bem-vinda, o valor ainda está longe de cobrir os gastos mensais com cada estudante, que hoje é de R$ 1,2 mil

Por Ana Carolina Leal

20 de maio de 2022, às 07h23

O Governo do Estado de São Paulo anunciou, nesta terça-feira, um reajuste de 23,85% no repasse para as Apaes (Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais). Com o aumento, o valor pago por aluno passará dos atuais R$ 433 por mês para R$ 536, de acordo com a diretora da instituição, em Nova Odessa, Maria Tereza Casazza.

Apesar de ser uma verba bem-vinda, Maria Tereza diz que o valor ainda está longe de cobrir os gastos mensais com cada estudante, que hoje é de R$ 1,2 mil “A diferença [do valor repassado pelo Estado] é custeada por venda de pizzas, feijoada, bingo e noites festivas. Realmente, a gente passa o chapéu”, disse.

Valor destinado para cada aluno atendido passa de R$ 433 para R$ 536 – Foto: Arquivo / O Liberal

A Apae de Nova Odessa assiste 399 pessoas em quatro programas de atendimento. No programa escola, que é o convênio com a Secretaria de Estado da Educação, são atendidos 90 alunos. Na instituição, o aumento permitirá a contratação de um fonoaudiólogo.

Em Santa Bárbara d’Oeste, dos 585 alunos atendidos pela instituição, 270 são via convênio com o Estado. “É muito complicado a questão do custo da reabilitação e da educação, principalmente da educação especial. Os valores são sempre aquém das despesas da entidade. É sem dúvida um dinheiro bem-vindo, até porque estávamos lutando por isso, mas não atende todas as necessidades”, afirma Lídia Imaculada Bigoto Gonçalves de Oliveira, coordenadora geral da instituição.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Na Apae de Americana, dos 143 alunos matriculados na Escola de Educação Especial, em 2022, 125 são mantidos por meio do termo de colaboração com o Estado. O LIBERAL tentou contato com a Apae de Sumaré, mas não teve retorno. Em Hortolândia, a coordenadora pedagógica da instituição, Milena Maciel, disse que a entidade foi inaugurada em setembro do ano passado e ainda está se estruturando para firmar convênio com o governo.

Em todo Estado de São Paulo, o reajuste beneficiará 18.489 estudantes, sendo 14.676 com DI (Deficiência Intelectual) e 3.813 com TEA (Transtorno do Espectro Autista), atendidos em 286 entidades, em 261 municípios. O repasse, neste ano, será pago em duas parcelas, em junho e setembro, um total de R$ 15,3 milhões.

Publicidade