Americana abre edital para contratar empresa que vai combater dengue

Anúncio prevê que sejam visitados 40 mil imóveis por mês; esse é o segundo ano consecutivo que serviço será contratado


A Prefeitura de Americana abriu edital para contratar uma empresa que vai combater arboviroses no município. Esse é o segundo ano consecutivo que a cidade contrata o serviço. O edital prevê que sejam visitados 40 mil imóveis por mês.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

A licitação na modalidade pregão vai escolher a empresa que apresentar o menor preço global. A contratada será responsável por fornecer funcionários, equipamentos e transporte para as ações de combate à dengue que serão definidas pelo PMCD (Programa Municipal de Combate à Dengue).

Estão previstas atividades como controle químico ou mecânico de mosquitos e larvas, telamento de caixas d’água, limpeza de calhas e visitas domiciliares.

A prefeitura avaliou que era necessário contratar empresa para realizar o serviço por conta do reduzido número de servidores que compõem o atual quadro do PMCD – são apenas 24 agentes.

As empresas interessadas devem entregar envelope com documentação e proposta financeira no dia 6 dezembro. O edital prevê que o contrato tenha duração de um ano e prestação de serviços por seis meses, que podem ou não ser contínuos.

A Secretaria Estadual de Saúde alertou para o risco de nova epidemia em 2020. O número de casos está baixo no Estado – em Americana houve um confirmado em outubro e outro em novembro. Contudo, a pasta estadual trabalha com a possibilidade de disparada de casos a partir de janeiro.

Esse é o segundo ano consecutivo que Americana contrata empresa para combate à dengue. Em fevereiro, o município firmou contrato com a Sime Prag do Brasil, com duração de seis meses.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

A previsão inicial era que a empresa realizasse 40 mil visitas domiciliares por mês. Contudo, diante da epidemia foi necessário remanejar os trabalhos. A empresa passou a realizar nebulização em abril, após os casos dispararem.

Americana viveu em 2019 a terceira pior epidemia de dengue de sua história. Foram 4561 casos e quatro mortes relacionadas à doença. O município também havia contratado empresa para combate à dengue nos anos de 2014 e 2016.

Alerta

As cidades de Hortolândia e Nova Odessa estão em alerta para o número de criadouros de dengue. Ambas tiveram índice acima do satisfatório no Liraa (Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti).

Durante pesquisa realizada entre setembro e outubro, os agentes calcularam o número de recipientes com presença de larvas do mosquito a cada 100 imóveis. Para ser considerado satisfatório, o índice precisa estar abaixo de 1. Hortolândia e Nova Odessa registraram, respectivamente, 1,11 e 1,06.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o levantamento constatou que na região de Campinas a prevalência da infestação está nos criadouros móveis – vasos, garrafas e potes plásticos.

A Prefeitura de Hortolândia disse que se prepara para enfrentar a proliferação com ações de limpeza urbana, atividades educativas e organização dos serviços de saúde para atendimento. N. Odessa foi procurada, mas não comentou o Liraa.

Americana, Santa Bárbara e Sumaré tiveram índices considerados satisfatórios, de respectivamente 0,78 e 0,29 e 0,69.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora