Aluguel de boxes do Terminal de Americana custa de R$ 1 mil a R$ 1,2 mil

Desde a semana passada, a Ralmídia, que explora os espaços, é questionada sobre o assunto pelo LIBERAL, mas não revelou quanto cobra pela locação


Duas comerciantes que alugaram boxes no piso superior do Terminal Metropolitano de Americana disseram que vão pagar aluguel mensal de R$ 1 mil e R$ 1,2 mil pelos espaços. Desde a semana passada, a Ralmídia, que explora os espaços, é questionada sobre o assunto pelo LIBERAL, mas não revelou quanto cobra pela locação. Nenhum comércio ainda está funcionando.

A empresa foi contratada por meio de licitação realizada pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) para explorar comercialmente os 29 boxes do terminal de Americana e os sete do Rodoterminal de Santa Bárbara. Ela paga R$ 11,3 mil por mês pelo espaço das duas cidades e pode alugá-los por quanto quiser, sem prestar contas à empresa pública.

Se alugasse todos os boxes por R$ 1 mil, a Ralmídia faturaria, só em Americana, R$ 29 mil, quase três vezes mais do que paga para explorar os dois terminais. Porém, existem alguns boxes maiores em Americana. O LIBERAL falou com um comerciante que alugou um deles, mas ele não quis revelar quanto paga.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Exploração comercial dos terminais de Americana e Santa Bárbara foi terceirizada pela EMTU

As duas comerciantes alugaram dois boxes cada uma. Ambas têm lojas na galeria Cacique, no Centro da Cidade. Rosana Toledo, proprietária de dois comércios de calçados e roupas na galeria, disse que vai pagar R$ 1,2 mil por cada boxe no terminal, mas como alugou dois, provavelmente iria ganhar um desconto, que ela não tinha certeza de quanto seria.

Fernanda Maciel, que vai montar um espaço para eletrônicos nos dois boxes alugados no terminal, afirmou que vai pagar R$ 1 mil por mês.

Até o pré-candidato do PSDB ao governo do Estado, João Doria, afilhado político do ex-governador tucano Geraldo Alckmin, que inaugurou o terminal, afirmou na sexta-feira que o modelo adotado pode ser revisado e não parece uma “relação muito justa”.

“Pelo nível de investimento realizado. E você concede sem o investimento feito. Pelo que você me disse, a empresa apenas explora aquilo que foi feito pelo Estado com dinheiro público. Parece que pode ser revisado”, afirmou.

O LIBERAL já fez contato por telefone várias vezes com a Ralmídia e também por e-mail, mas não houve resposta. Na semana passada, a EMTU afirma que a locação é responsabilidade da Ralmídia, que não precisa prestar contas à empresa de transportes. A EMTU afirma também que não há prejuízo ao poder público.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!