Alimentos, roupas e sapatos são os mais procurados

Nesta sexta o que marcou foi o vai e vem nas lojas de departamentos e supermercados


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Nesta sexta o que marcou foi o vai e vem nas lojas de departamentos e supermercados

A Black Friday este ano foi dos supermercados, restaurantes e lojas de vestuário. A clássica cena de clientes deixando os magazines levando grandes caixas nas costas, foi substituída por pequenas multidões disputando latas de leite em pó, pela metade do preço. As filas de fast food em Americana fizeram o serviço ficar “slow”. Para conseguir um lanche promocional, os clientes esperaram mais de 40 minutos.

Nos centros de convivência o que mais se via eram pequenas sacolas recheadas de blusas, calças e sapatos. Para a desempregada Alessandra Fiorani, 40 anos, eram esses os produtos mais atrativos. “Vi o desconto na internet e vim comprar um sapato aqui na loja. Vim focada nisso, mas os eletrodomésticos que pesquisei antes estão com desconto muito baixo, coisa de 5%”, contou.

O gerente de uma loja de departamentos em Santa Bárbara d’Oeste, Francisco Pinho, diz que esta sexta-feira o movimento no setor de roupas subiu 10%. “A aposta foi principalmente nas roupas masculinas, jeans e polos, que são roupas mais nobres e conseguimos trabalhar mais o preço”, contou. “Temos muitos curiosos, que entram ver o preço, vão no concorrente e voltam a negociar. Eles chegam com algum folheto mostrando uma camiseta mais barata. Não dá para perder negócio”, riu.

CHEIO. Aproveitando os descontos nos chocolates e produtos de limpeza, a supervisora Talita Vaz Malabase foi até um supermercado para aproveitar o dia especial de compras. “O leite também estava com preço muito bom. Marcas boas por menos de R$ 3. O mercado está cheio”, relatou. “As filas para pagar até estão indo rápido, mas tem muita gente nos corredores”, relatou. Na unidade, os consumidores conseguiam comprar carnes nobres por menos de R$ 18 o quilo, detergentes por R$ 1 e sabão em pó por R$ 15.

Cena “exótica” nesta sexta-feira foi protagonizada pelo advogado Paulo Cezar Paulini. O aposentado procurava itens domésticos. “Vim comprar um presente e levei esta pipoqueira. O preço acho que era o mesmo, mas como vim até aqui, acabei comprando. Não sei se acredito muito nestes descontos”, disse.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora