02 de julho de 2022 Atualizado 20:13

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Região

Administração tem 464 inscritos e 200 vagas nas Etecs da região

A prova do vestibulinho será aplicada no dia 3 de julho, às 13h30, de forma presencial

Por Ana Carolina Leal

23 de junho de 2022, às 07h53 • Última atualização em 23 de junho de 2022, às 07h54

Em Americana, o curso de mecânica é o mais disputado entre os estudantes - Foto: Arquivo - Liberal

O curso técnico de administração aparece entre os mais concorridos do processo seletivo nas Etecs (Escolas Técnicas Estaduais) da RPT (Região do Polo Têxtil) para o 2º semestre. São 464 inscritos para 200 vagas em Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia. Uma demanda de quase três candidatos por vaga.

O curso aparece em primeiro lugar nas cidades de Nova Odessa e Sumaré e, em segundo, em Americana, Santa Bárbara e Hortolândia. A prova do vestibulinho será aplicada no dia 3 de julho, às 13h30, de forma presencial.

Coordenadora do curso de administração da Etec de Hortolândia, Juliana Baptista dos Santos atribui a alta demanda ao crescimento econômico regional. “Nos últimos dez anos, muitas empresas se instalaram na região, especialmente em Sumaré e Hortolândia, que sempre foram e ainda são muito carentes de mão de obra”, afirma.

De acordo com ela, esses estudantes, de certa forma, são economicamente mais carentes porque moram também em uma região mais carente. Portanto, dificilmente saem do ensino médio direto para um curso superior. “Eles procuram uma oportunidade no curso técnico porque precisam trabalhar. E o curso de administração é um coringa porque toda empresa precisa do campo administrativo”, comenta Juliana, acrescentando que a área, sem dúvida, abre mais vagas.

Em Americana, o primeiro lugar é ocupado pelo curso de mecânica, em Santa Bárbara por enfermagem e, em Hortolândia, informática. Economista do Observatório da PUC-Campinas, Eliane Rosandiski acredita que a escolha desses cursos pode ter sido influenciada pela vocação industrial local, caso da mecânica e, talvez, da memória ainda recente da pandemia da Covid-19 que recrutou muitos profissionais da área de saúde.

De acordo com ela, já está consolidada a tendência de maior parte dos contratos serem preenchidos por jovens e com escolaridade de ensino médio. No caso das Etecs, o curso técnico é integrado ao ensino médio.

Publicidade