17 mil estudantes da RPT vão participar do Enem

Prova será aplicada nos dias 4 e 11 de novembro; exame é requisito para programas de ingresso em universidades, como Sisu, Fies e Prouni


O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) será aplicado a 17.795 estudantes da RPT (Região do Polo Têxtil). A prova, que chega este ano a sua 20a edição, será realizada nos dias 4 e 11 de novembro. O número de participantes na região é menor do que no ano passado, quando o Enem havia sido realizado por mais de 20 mil pessoas.

A cidade com mais inscritos na RPT é Hortolândia (5.030). Na sequência aparecem Sumaré (4.784) e Americana (4.513). 2.407 estudantes barbarenses farão o exame, e em Nova Odessa foram 1.061 inscrições.

Os candidatos precisam estar atentos pois o primeiro dia da prova coincidirá com o início do horário de verão no Brasil, quando os relógios são adiantados uma hora. A abertura dos portões dos locais de prova será ao meio-dia. Eles serão fechados pontualmente às 13h e o Enem terá início às 13h30. O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) orienta os estudantes a pesquisarem onde farão a prova e traçarem o itinerário com antecedência.

Foto: Captura de tela
Locais de prova podem ser consultados pelo www.enem.inep.gov.br

No primeiro dia do exame são aplicadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação; e Ciências Humanas e suas Tecnologias. A prova tem cinco horas e trinta minutos de duração.

No segundo dia do Exame são aplicadas as provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, e Matemática e suas Tecnologias. A aplicação tem cinco horas de duração.

Dentre as novidades deste ano, está a ampliação de 30 minutos na duração das provas no segundo dia de aplicação. Além disso, redações que desrespeitarem os Direitos Humanos perderão 200 pontos.

Presidente do Inep e idealizadora do Exame, Maria Inês Fini disse que a edição é especial por celebrar 20 anos de Enem. “Em 1998, 115 mil estudantes brasileiros trocaram a tarde de domingo por um compromisso desconhecido. O Inep, de forma inédita, aplicou uma avaliação do indivíduo. Vinte anos depois, quase 90 milhões de brasileiros já se inscreveram no Enem”, destacou Maria Inês.

“A experiência na produção de itens e provas, e na logística de aplicação, e mesmo a transformação da sociedade, foram conduzindo mudanças. A possibilidade de oferecer parâmetros para o prosseguimento dos estudos ou para o ingresso no mundo do trabalho, entretanto, permanecem desde a concepção do Enem”, finalizou.

Com informações da assessoria de imprensa do Inep.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!