Pai e filho tem 80% do corpo queimado após explosão

As vítimas moram na casa ao lado de incêndio e foram atingidas pelas chamas; ambos estão internados em estado grave


Pai e filho tiveram 80% do corpo queimado na noite da última quarta-feira, em Hortolândia, após serem atingidos pelas chamas de uma explosão. O incêndio começou em uma residência localizada na Rua Antonia Messa Muraro, no Jardim Nossa Senhora Auxiliadora. O desempregado I.S.B, 22, e o pai dele, E.L.B, 55, moram ao lado da casa que pegou fogo. No quintal dessa residência havia sete tambores com líquido inflamável, que provocaram a explosão. As vítimas foram internadas em estado grave, com queimaduras de 2º e 3º graus. Uma outra residência vizinha foi atingida pelo fogo, além de dois carros estacionados na rua.

A explosão aconteceu por volta das 21h45 de quarta-feira. O Corpo de Bombeiros, equipes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e a Polícia Militar foram acionados para atender a ocorrência. Segundo o boletim de ocorrência, o fogo começou no quintal da residência onde estavam armazenados tambores com líquido inflamável, cuja moradia ficou danificada.

No momento da explosão, as vítimas E.L.B e I.S.B, que estavam entrando na casa vizinha, onde moram, foram atingidas pelas chamas. Pai e filho tiveram 80% do corpo queimado. Eles foram socorridos pelo Samu e levados para o Hospital Municipal Mário Covas, de Hortolândia, com queimaduras de 2º e 3º graus. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, o filho foi transferido para um hospital especializado no atendimento de queimados, em Bauru. Já o pai segue em estado grave no hospital municipal Mário Covas. “Ele será transferido ao hospital de Bauru assim que sua condição de saúde se estabilizar, uma vez que há risco de morte durante a transferência”, traz a nota. “Tinha produtos químicos na casa do vizinho. Pegou fogo e eles estavam entrando em casa. Não é bom o estado de saúde eles”, contou Rita de Cássia dos Santos, parente das vítimas.

No interior da residência em que teve início o incêndio, estavam as irmãs K.D.A.C, 27, e R.I.B.A.C, 18, que moram no local. Elas não souberam dizer aos policiais o que teria provocado a explosão e alegaram desconhecer o conteúdo dos tambores. Segundo a auxiliar de limpeza K.D.A.C, há poucos dias um homem pediu para deixar os tambores no quintal, o que foi permitido. As irmãs não ficaram feridas e dentro da casa foram encontradas porções de maconha.

Uma equipe do Instituto Criminalística de Americana vistoriou o local e foi instaurado inquérito para apurar o caso. Uma perícia técnica será realizada em um tambor que ficou intacto para verificar qual o teor do líquido.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora