01 de dezembro de 2021 Atualizado 09:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Projeto Ísis

Nova Odessa terá cursos e grupo para combater violência contra mulher

Iniciativa será implantada em dezembro, com apoio da prefeitura, para profissionais municipais e população

Por Maria Eduarda Gazzetta

24 nov 2021 às 07:20 • Última atualização 24 nov 2021 às 08:30

Com apoio da prefeitura, Nova Odessa implantará a partir do dia 1º de dezembro o projeto Ísis, que irá realizar palestras e cursos que promovam a conscientização da sociedade sobre o combate à violência doméstica praticada contra mulheres. Além disso, será criado um grupo de apoio e valorização da mulher.

Apesar de ser implantado na cidade neste ano, o projeto foi idealizado há quatro anos por Iracema Leal Veloso Gómez, advogada e pós-graduada em Direito Penal e presidente da Comissão das Mulheres Vítimas de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Subseção da OAB Ordem dos Advogados do Brasil) em Nova Odessa.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“Falta muita informação para as mulheres, que são vítimas, e para quem não tem informação correta da Lei. É preciso explicar quais são os direitos e abrir os olhos de profissionais, seja ele de saúde ou até mesmo de educação, a identificar um caso de abuso e como abordar a vítima. É um trabalho de formiguinha, é um pouquinho de cada vez, mas estou muito feliz com esse avanço em implantar o projeto de forma prática na cidade”, explicou Iracema.

As advogadas Nanda Volpe e Iracema Gómez, que irão implantar o projeto na cidade – Foto: Divulgação

Ela diz, ainda, que os casos de violência contra a mulher cresceram exponencialmente durante o período de pandemia, elevando em 40% as vítimas deste crime. “Os casos aumentaram no País todo e precisamos estar atentos e ajudar essas mulheres”, completou.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Patrícia Galvão e Locomotiva, com apoio do Fundo Canadá, divulgada este mês, aponta que 57% dos brasileiros conhecem alguma mulher que foi vítima de ameaça de morte pelo atual parceiro ou ex e 37% conhecem uma mulher que sofreu tentativa ou foi vítima de feminicídio íntimo. 

A advogada Nanda Volpe, uma das parceiras do município na elaboração e desenvolvimento da iniciativa, também faz parte da Comissão, criada este ano.

“Prontamente aceitei o convite para fazer parte e me coloquei à disposição para colaborar com o projeto para ser colocado em prática. Um dos nossos objetivos é mobilizar e capacitar quem atua com esse público, preparando-os para o acolhimento dessa vítima”, explicou Nanda.

Projeto

A iniciativa será dividida em três etapas. A primeira vai fornecer curso de noções legais aos servidores municipais e profissionais das áreas da Educação, Saúde e Assistência Social sobre a Lei Maria da Penha. Ele será realizado no dia 1º de dezembro, das 19h às 22h, para os servidores e profissionais da Educação, e no dia 4/12, das 9h às 12h.

De acordo com a prefeitura, a segunda etapa deve ter início em 2022, e prevê a realização de palestras em escolas, centros comunitários e igrejas, voltadas para a conscientização da população em geral sobre o tema.

Também em 2022, deve acontecer a terceira fase do projeto: a criação de um grupo de apoio e valorização da mulher, com reuniões quinzenais e aberto ao público em geral.

Publicidade