PM acusa guarda de tentativa suborno em Nova Odessa; suspeito nega

Suspeito foi abordado transportando 100 litros de gasolina e teria tentado encobrir o caso, segundo policiais; ele foi preso e depois liberado


Foto: André Thieful - O Liberal
Ele foi flagrado transportando 100 litros de gasolina e teria oferecido dinheiro para que o caso fosse encoberto

Um guarda municipal de Nova Odessa, de 60 anos, é acusado de tentar subornar policiais militares na madrugada desta sexta-feira (1), no Parque Industrial Harmonia, na mesma cidade. Ele foi flagrado transportando 100 litros de gasolina e ofereceu dinheiro para que o caso fosse encoberto, segundo relatos dos policiais em boletim de ocorrência. O suspeito nega.

Na chácara onde ele mora também foi encontrado um barril com 50 mil litros do mesmo combustível. Por transportar e armazenar produto ou substância tóxica em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ele foi preso, mas acabou liberado em audiência de custódia.

O boletim de ocorrência ainda cita corrupção ativa. Na CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Americana, ele admitiu que guardava o produto, mas negou ter tentado subornar os policiais. “O comando da Guarda Municipal de Nova Odessa não compactua com qualquer possível desvio de conduta de seus integrantes e por isso, já solicitou à Secretaria de Assuntos Jurídicos a instauração de um PAD (Processo Administrativo Disciplinar) para apurar os fatos”, disse a corporação, em nota.

De acordo com o boletim, policiais militares estavam em patrulhamento pelo Parque Industrial Harmonia quando avistaram indivíduos carregando um barril com 100 litros de gasolina para a caçamba de uma Fiat Estrada. Na abordagem, somente o guarda se negou a deitar no chão, revelando ser da corporação.

No veículo, embaixo do banco do motorista, foi encontrada uma pistola, que pertence ao suspeito. Neste momento indivíduos que estavam em um bar próximo ao local entraram na chácara do guarda e fecharam o portão. Ao ser questionado sobre o que estava acontecendo, o guarda teria oferecido dinheiro para que fosse encerrada a ocorrência, segundo relatos de policiais no documento.

No imóvel foi achado um tambor com aproximadamente 50 litros de gasolina. Estavam na chácara o dono do bar e um pedreiro que presta serviços para o guarda e estava bebendo. O homem que ajudou o funcionário público a carregar o tambor para a Fiat Strada era dono de um caminhão-tanque.

De acordo com o delegado José Donizete Melo, da CPJ (Central de Polícia Judiciária), local onde a ocorrência foi registrada, a suspeita inicial era de que eles estivessem transportando combustível do caminhão para o veículo, mas essa hipótese foi descartada pois o caminhão estava vazio e condutor apresentou as notas fiscais das entregas realizadas.

O suspeito afirmou em depoimento que usava a gasolina em um maquinário que possui na chácara. Por isso, comprava nos postos de combustível em pequenas quantidades, armazenava em um tambor e o transportava da sua casa para a chácara, segundo Donizete.

No boletim ainda consta que não há indícios de que o combustível seja de origem criminosa. Um inquérito será aberto na Polícia Civil de Nova Odessa para apurar o caso. A reportagem tentou contato com o advogado do guarda nesta sexta-feira, mas ele não retornou as ligações.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora