12 de maio de 2021 Atualizado 23:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Nova Odessa atribui a Estado falta de vacinas para professores

Governo estadual, por sua vez, diz que prefeitura vacinou menos do que as doses que recebeu

Por Pedro Heiderich

03 Maio 2021 às 17:44

A Prefeitura de Nova Odessa atribui ao Governo do Estado a falta de vacinas contra o coronavírus (Covid-19) para profissionais da educação da cidade (acima de 47 anos). O município está desde 16 de abril sem imunizantes para a categoria.

Não há previsão da chegada de mais doses para o grupo. Faltam pelo menos 79 profissionais para serem vacinados, contando apenas a rede municipal, informa o Executivo. O Governo do Estado rebate e diz que a prefeitura vacinou menos do que as doses recebidas.

Nova Odessa diz que estimativa de professores do Estado é equivocada – Foto: Prefeitura de Nova Odessa

Recentemente, outra prefeitura da RPT (Região do Polo Têxtil), a de Santa Bárbara, atribuiu ao Estado a demora na vacinação no município. O Governo também rebateu na ocasião, de forma até semelhante.

Os outros municípios da RPT vacinaram maior porcentagem dos profissionais de educação cadastrados para a primeira fase de imunização da categoria (acima de 47 anos). E nenhum deles está com a vacinação da categoria “emperrada” há tanto tempo.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Em Americana, já foram imunizados 95,15% do contingente, segundo a prefeitura: 1.789 dos 1.880 trabalhadores cadastrados. A expectativa é terminar de vacinar os 91 restantes da categoria nesta semana. Sumaré já vacinou 86% (1.457 de 1.690, faltando 233 profissionais).

Santa Bárbara teve problema no cadastro que atrasou a vacinação da categoria, mas até segunda-feira da semana passada (26) já havia ultrapassado os 74% dos vacinados deste público (942 imunizados, faltando 328, em um total de 1.270).

De acordo com o secretário de Educação de Nova Odessa, José Jorge Teixeira, todas as 400 doses disponibilizadas pelo Estado para o início da imunização da categoria, em 12 de abril, acabaram na mesma semana. Em nota, a administração ironizou a “estimativa” do Estado.

O Executivo afirma que não tem previsão de novos lotes. “O fato de que a quantidade enviada foi insuficiente já foi comunicado ao Departamento Regional de Saúde de Campinas e à Vigilância Sanitária estadual. Aguardamos o recebimento de mais doses”.

Paula Mestriner, coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Nova Odessa, frisa. “Não sabemos quando chegará o novo lote para esta categoria”. Ela ainda faz uma ressalva. “Até hoje, o Estado enviou corretamente as segundas doses da vacina”.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

ESTADO REBATE
O Estado rebateu em nota alegando que a Prefeitura de Nova Odessa “deveria cobrar o Ministério da Saúde por mais doses ao invés de concentrar a responsabilidade no Governo do Estado, que está cumprindo com seus compromissos”.

A nota aponta que até quarta-feira (28) foram destinadas para Nova Odessa 11.858 doses “e este registrou apenas 10.484 mil aplicações na plataforma VaciVida, o que evidencia um ‘saldo’ de pelo menos 1,3 mil doses que deveriam ter sido administradas pelo município”.

O governo diz que a prefeitura deve “tomar providências e trabalhar com transparência em relação ao consumo das grades enviadas”. A nota cita o Plano Estadual de Imunização e diz que cabe às prefeituras utilizar as vacinas de acordo com os critérios técnicos e públicos.

Publicidade