25 de junho de 2022 Atualizado 21:50

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

VIOLÊNCIA

Mulher é condenada por jogar soda cáustica em policiais de Nova Odessa

Caso aconteceu em dezembro de 2020, durante ocorrência no Santa Luiza 1; Susy Herman pegou 7 anos de prisão

Por Maria Eduarda Gazzetta

17 de junho de 2022, às 08h42 • Última atualização em 17 de junho de 2022, às 11h58

Defesa de Susy Herman preferiu não se manifestar, mas confirmou que irá recorrer - Foto: Polícia Civil / Divulgação

A Justiça de Nova Odessa determinou prisão de 7 anos para Suzy Herman, 47, em regime semiaberto, por lesão corporal. Ela é acusada de jogar soda cáustica em dois policiais militares que atendiam uma ocorrência no Santa Luiza 1, em Nova Odessa, em dezembro de 2020. A decisão foi publicada no último dia 7.

Conforme mostrado pelo LIBERAL na época do caso, os policiais militares, de 33 e 34 anos, teriam sido acionados para uma ocorrência, entre familiares de Suzy, na Rua da Amizade e, durante o atendimento, foi necessário o uso de spray de pimenta para acalmar os ânimos.

Susy, no entanto, teria entrado dentro de sua casa e jogado soda cáustica com água quente no rosto dos agentes, causando queimaduras.

De acordo com a juíza Michelli Vieira do Lago Ruesta Changman, Suzy representa significativo risco à ordem pública por conta de personalidade desequilibrada, além da postura desregrada.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“Não há dúvidas de que do risco de fuga é alto até porque, logo após à prática do crime, ela fugiu, mostrando-se indiferente às consequências dos seus atos e com a Justiça”, trouxe decisão.

De acordo laudo do IML (Instituto Médico Legal), anexado ao processo, um dos policiais ficou com incapacidade para atividades por mais de 30 dias e fragilidade na visão, com deformidade estética permanente.

“Melhora discreta da estética, contudo a precisão visual permaneceu em 50% em olho direito e sem possibilidade de melhora”, trouxe o documento. O outro agente, de 34 anos, também ficou com a incapacidade para as atividades habituais por mais de 30 dias.

A PM (Polícia Militar) foi questionada sobre o estado de saúde dos dois policiais. O tenente Murilo de Moraes Rui informou que os agentes foram afastados do serviço operacional devido à gravidade da lesão, para tratamento na Unicamp.

“Atualmente os policiais desempenham a função administrativa normalmente, sem sequelas, apenas com o uso de óculos de correção refrativa”, trouxe nota.

Defesa
A advogada de Suzy, Gislaine Cristina Mori de Souza, preferiu não se manifestar, apenas disse que irá recorrer da decisão.

Em 2017, Suzy também esteve envolvida em uma tentativa de homicídio, quando seu esposo levou oito facadas.

Publicidade