Justiça desiste de encontrar responsável por morte de morador de rua

Geraldo Magela da Silva, de 54 anos foi encontrado, com sinais de espancamento, no Jardim São Jorge, em fevereiro de 2018


Sem apontar um responsável, a Justiça de Nova Odessa mandou arquivar em abril o inquérito policial que investigou o assassinato do morador de rua Geraldo Magela da Silva, de 54 anos. O corpo dele foi encontrado, com sinais de espancamento, no Jardim São Jorge, em fevereiro de 2018.

O resultado da necropsia apontou ferimentos no rosto e na nuca e concluiu que a causa da morte foi traumatismo craniano. O laudo da perícia feita no local do crime apontou que os tipos diferentes de ferimentos sofridos pela vítima permitem a possibilidade de participação de mais de um agressor, mas não apontou elementos que auxiliassem na identificação.

Segundo a família, Silva vivia em condição de rua havia três anos e era usuário de bebidas alcoólicas. Um amigo dele disse aos policiais que ele fazia bicos em um varejão e que não via motivação para o crime.

O arquivamento atende a um pedido do Ministério Público, com base em relatório da Polícia Civil. Segundo a promotora Beatriz Binello Valério, sem testemunhas presenciais não há mais “diligências cabíveis”.

“Os elementos colhidos nos autos não estão a autorizar a propositura de ação penal. Apesar das diligências empreendidas, não se conseguiu apurar a autoria do delito”, afirmou.

A SSP afirmou que a Polícia Civil de Nova Odessa realizou diligências no estabelecimento comercial onde a vítima esteve em uma festa, no dia em que morreu.

“A dona do comércio foi ouvida, além de outras testemunhas e pessoas relacionadas à vítima. Por meio dessas providências, foi possível chegar até um suspeito, que foi investigado, mas não ficou comprovada sua participação no crime. Laudos periciais foram analisados e a investigação foi finalizada com o arquivamento do inquérito, após avaliação do Ministério Público e da Justiça”, diz a nota.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora