Jovem tem pé decepado ao ‘surfar’ e cair de trem

Vítima foi encaminhada em estado grave ao Hospital das Clínicas, em Campinas


Um jovem de 20 anos teve o pé esquerdo e parte de uma das orelhas amputados após cair de um trem e ser atropelado na estação ferroviária de Nova Odessa, no início da tarde desta quarta-feira (23). Ele “surfava” por um dos vagões quando sofreu a queda.

Segundo informações de um bombeiro civil que atendeu a ocorrência, a vítima aparentava estar sob o efeito de drogas. Ele foi encaminhado ao Hospital Municipal de Nova Odessa e transferido até a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital das Clínicas, da Unicamp, em estado grave.

Foto: Bombeiro civil Vieira/Divulgação
Homem foi socorrido por um bombeiro civil e um cabo da PM

O acidente aconteceu por volta das 13h. O jovem “surfava” em cima de um dos vagões quando, por motivos desconhecidos, caiu nos trilhos da estação ferroviária e foi atropelado pelo trem. O bombeiro civil Vieira e o Cabo Tiago Tognela, da PM (Polícia Militar), que estavam passando pelo local à paisana, fizeram o pré-atendimento. Vieira relatou ao LIBERAL que a vítima estava consciente, mas parecia estar sob o efeito de drogas. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Sumaré não confirmou a versão.

A vítima deu entrada no Pronto-Socorro do Hospital Municipal Doutor Acílio Carreon Garcia, em Nova Odessa, em estado grave, com amputação traumática do pé esquerdo, afundamento craniano e amputação parcial da orelha direita, além de sinais de confusão mental e dor.

Após os primeiros atendimentos, o homem foi inserido no sistema da Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde) às 13h43. Duas horas depois foi transferido para a UTI do Hospital de Clínicas da Unicamp, em Campinas.

“Pegar carona nos trens é uma atividade irregular, com risco de morte. A empresa realiza campanhas de segurança e conscientização com o objetivo de combater essa prática ilegal e principalmente alertar sobre os riscos do surfe ferroviário. Equipes de vigilância realizam rondas em toda ferrovia com o intuito de coibir atos como este. Ao identificar algum fator de risco ou irregularidade, a comunidade pode entrar em contato com a concessionária por meio do telefone 0800 701 2255”, afirmou a Rumo Logística, que opera a malha ferroviária de Nova Odessa.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora