Cubanas em Nova Odessa pedirão residência para a PF

Solicitação será feita com base em portaria que regulamentou a concessão de residência aos médicos que continuaram no País


As cinco médicas cubanas que atuavam em Nova Odessa por meio do programa Mais Médicos vão pedir residência à Polícia Federal. A solicitação será feita com base na Portaria publicada no Diário Oficial da União em 29 de julho, que regulamentou a concessão de residência aos médicos que continuaram no País após o término da participação de Cuba no programa.

Foto: Prefeitura de Nova Odessa / Divulgação
Osmar Alves de Carvalho afirmou que a OAB tem prestado assistência às cubanas que estão na cidade

De acordo com o presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Nova Odessa, Osmar Alves de Carvalho, as cubanas procuraram a entidade preocupadas com um possível prazo para dar entrada no pedido de residência. A OAB tem prestado assistência às cubanas que estão na cidade.

“Elas estavam muito ansiosas porque tinham a informação de que havia um prazo de 30 dias. Na portaria não há essa previsão, orientei-as nesse sentido e elas já fizeram o agendamento para ir na Polícia Federal”, explicou o advogado. “Então a princípio a OAB continua acompanhando, se elas precisarem de mais ajuda estamos de portas abertas”.

As cinco cubanas agendaram atendimento para solicitar residência para setembro. De acordo com a portaria, a residência que será concedida aos cubanos terá prazo inicial de dois anos.

Os interessados poderão pedir, antes do final desse período, autorização de residência com prazo de validade indeterminado, desde que atendam alguns critérios. Dentre eles, está a ausência de registros criminais no Brasil e comprovação de meios de subsistência.

Das oito profissionais que trabalhavam em Nova Odessa, três retornaram a Cuba após a saída do país do programa Mais Médicos. A medida foi adotada em função de declarações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), que desclassificavam os profissionais caribenhos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora