05 de março de 2021 Atualizado 22:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Nova Odessa

Câmara de NO tem reajuste de 25,7% no aluguel e presidente cobra prédio próprio

Legislativo ocupa dois imóveis na região central; Pelé pleiteia doação de terreno da prefeitura

Por André Rossi

16 fev 2021 às 07:38

A Câmara de Nova Odessa teve reajuste de 25,7% no aluguel dos dois imóveis que ocupa na região central da cidade. Durante a sessão desta segunda-feira (15), o presidente Elvis Ricardo Maurício Garcia, o Pelé (PSDB) reforçou a necessidade do Legislativo ter um  prédio próprio.

A câmara pleiteia desde o início do ano, junto à prefeitura, a doação uma área de 6.726 metros quadrados na Avenida Rodolfo Kivitz para construção da nova sede. O prefeito Cláudio José Schooder, o Leitinho (PSD) já sinalizou que vê com bons olhos o pedido, mas ainda analisa o tema.

“Espero que o prefeito nos responda com maior agilidade possível para que possamos dar início no projeto para construção da Casa apropriada”, afirmou Pelé durante a sessão.

Atualmente, a câmara ocupa dois prédios que ficam lado a lado. O primeiro deles, na Rua Pedro Bassora, está alugado desde 1999 e é onde funciona o plenário. O valor mensal subiu de R$ 7,9 mil para R$ 10 mil.

O segundo, na Rua Carlos Botelho, está ocupado desde 2003 e contempla recepção e os gabinetes. No caso desse, o aluguel subiu de R$ 13,3 mil para R$ 15,5 mil.

Com os valores somados, a despesa da câmara subiu de R$ 20.357 para R$ 25.591, um salto de 25,7%.  Além do aumento na despesa, os prédios possuem deficiências que impedem até mesmo a obtenção do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

De acordo com Pelé, o setor de contabilidade da Casa estima que o investimento necessário para construção poderia ser pago em 10 anos. No entanto, o valor da obra  ainda não está definido, já que é necessário primeiro a doação do terreno para fazer o projeto e estimar valores.

Caso a prefeitura doe a área, a transação terá de ser formalizada por meio de um projeto de lei. Questionada nesta segunda, a prefeitura informou apenas que o assunto ainda está em “andamento.

Publicidade