30 de maio de 2020 Atualizado 17:18

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Nova Odessa

Câmara aprova leilão de imóveis para reformar Clínica de Especialidades e canil

Áreas ficam no Parque Industrial Harmonia e valem pouco mais de R$ 700 mil

Por André Rossi

06 Maio 2020 às 18:17 • Última atualização 06 Maio 2020 às 21:25

A Câmara de Nova Odessa aprovou nesta quarta-feira (6) dois projetos de lei que permitem que a prefeitura leiloe dois imóveis públicos, com o objetivo de reverter os recursos para a saúde e a causa animal. As áreas ficam no Parque Industrial Harmonia e juntas valem pouco mais de R$ 700 mil.

Os projetos permitirão a reforma e ampliação da Clínica Médica de Especialidades no Hospital Municipal ‘Dr. Acílio Carreon Garcia’ e também a modernização do canil/gatil municipal. A sessão foi realizada via videoconferência por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Discussão sobre projeto para canil municipal motivou reunião presencial entre as partes – Foto: Câmara de Nova Odessa / Divulgação

O primeiro imóvel, cuja área é de 1.436,77 metros quadrados, está avaliado em R$ 263,5 mil. A ideia é de que o recurso seja utilizado na reforma da clínica de especialidades.

O vereador Cláudio José Schooder, o Leitinho (PV), apresentou emenda ao projeto para que os recursos ao FMS (Fundo Municipal de Saúde) fossem utilizados exclusivamente na compra de medicamentos da Farmácia Municipal e dos postos de saúde. Porém, a emenda acabou reprovada por seis votos a dois.

Já o segundo imóvel tem 2.457,10 m² e está avaliado em R$ 450,7 mil, que seriam revertidos para o canil. Antes da votação, houve reunião presencial entre o chefe de Gabinete da prefeitura, André Faganello, o presidente da AAANO (Associação dos Amigos dos Animais de Nova Odessa), Carlos Pinotti, e os vereadores Elvis Ricardo Garcia, o Pelé (PSDB), Carla Lucena (PL) e Leitinho para detalhar o projeto.

“Tão logo houver a aprovação do projeto e a sanção pelo prefeito, será dado início ao processo para o leilão público da área”, afirmou Faganello.