Bill abre processo disciplinar contra coletores

Impasse entre a prefeitura e os servidores, em julho, atrasou a coleta de lixo em bairros da cidade


O prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza (PSDB), determinou a abertura de uma comissão processante contra 16 servidores – coletores de lixo e motoristas – que participaram de um protesto contra mudanças na coleta em julho. Na época, um impasse entre a prefeitura e os funcionários afetou o serviço em alguns bairros da cidade. O SSPMANO (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Nova Odessa) informou que não foi notificado, mas que vai “defender” os servidores.

Foto: Arquivo / O Liberal
Prefeito determinou a abertura de uma comissão processante contra 16 servidores – coletores de lixo e motoristas – que participaram de um protesto

Por recomendação do MPT (Ministério Público do Trabalho), a administração teve que readequar a carga horária dos funcionários. Em nota à imprensa distribuída no dia 17 de julho, a assessoria de imprensa do município afirmou que “como forma de retaliação, alguns servidores que compõem duas das seis equipes responsáveis pela coleta de lixo não compareceram ao trabalho no último sábado (14) e reduziram consideravelmente o ritmo nesta segunda (16) e terça-feira (17)”.

Segundo a portaria, publicada nesta sexta-feira, o grupo – em tese – praticou condutas passíveis de punição pela administração. Três funcionários e outros três suplentes terão 60 dias para concluir as investigações e emitir um parecer sobre a procedência, ou não, da denúncia. A comissão deverá ainda, no caso de julgamento desfavorável, apontar a pena a que o grupo deve ser submetida. A lei municipal que trata de procedimentos disciplinares de Nova Odessa prevê advertência, suspensão e até demissão.

O presidente interino do sindicato, Luís Fernando Silva, disse que ainda não teve acesso à portaria, mas negou que os funcionários tenham praticado qualquer irregularidade. “Eles estavam reivindicando EPI (Equipamento de Proteção Individual). O vídeo gravado pelo nosso presidente (Adriano do Carmo) mostra que no caminhão não tinha água, que os trabalhadores não tinham sapatos adequados. Vamos defender os servidores”, afirmou.

Procurada, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Nova Odessa não quis se manifestar, alegando que o processo “tramita sob sigilo”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!