Barilon quer impor austeridade na câmara

Apesar de reforçar a necessidade de contratar três funcionários aprovados em concurso público, o tucano garantiu que não fará isso de forma imediata


Eleito presidente da Câmara de Nova Odessa pela segunda vez, Vagner Barilon (PSDB) pretende repetir a mesma austeridade que praticou durante seu primeiro biênio como presidente, entre 2013 e 2014. Apesar de reforçar a necessidade de contratar três funcionários aprovados em concurso público, o tucano garantiu que não fará isso de forma imediata.

“A câmara tinha um funcionário na secretaria que se desligou e não foi reposto, e acabamos perdendo nosso contador, que faleceu. Foi feito concurso ano passado, que previa a contratação desses funcionários e de um advogado para assessorar os vereadores. Eu pretendo preencher (as vagas) ao longo dos próximos dois anos”, afirmou Barilon.

O primeiro cargo que deve ser ocupado é o de contador, já que em abril termina o vínculo com o profissional que foi contratado como pessoa física. De acordo com a assessoria de imprensa da Casa, o contrato é autorizado pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) devido ao falecimento do funcionário concursado.

Para o presidente, repor os outros dois servidores ao longo do biênio é uma forma de evitar riscos. “O município vive um momento em que não dá para você se aventurar muito. Vamos tratar a câmara como foi no outro mandato, com bastante austeridade em alguns gastos, mas também temos que dar ferramentas que os vereadores precisam para trabalhar”, explicou o novo presidente.

O tucano pretende ainda dar continuidade a projetos que foram retomados pela ex-presidente Carla Lucena (PSDB), como o “Vereador Estudante”, “Câmara Melhor Idade” e “Alunos e Alunas Nota 10”. “Esses programas que aproximam a câmara da comunidade serão mantidos”, disse o parlamentar. O Legislativo volta do recesso na próxima segunda-feira. Já as sessões retornam no dia 4 de fevereiro.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!