21 de outubro de 2021 Atualizado 15:28

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

DESCASO

Atrasada há sete meses, reforma de escola em Nova Odessa só deve ser concluída em 2022

Prefeitura acusa empresa de abandonar a obra e afirma que vai rescindir contrato

Por Pedro Heiderich

16 set 2021 às 09:40

Obra deveria ter sido entregue em fevereiro, mas foi abandonada em janeiro – Foto: Marcelo Rocha/O Liberal

Com entrega atrasada há sete meses, a reforma da Emefei (Escola Municipal de Ensino Fundamental e Infantil) Professora Therezinha Antonia Malagueta Merenda, em Nova Odessa, só deve ser concluída em 2022.

A prefeitura acusa a DJR Oliveira, empresa contratada para o serviço ainda na gestão passada, de abandonar a obra no início de 2021. A obra está parada desde janeiro.

O Executivo vai rescindir o contrato e convocar outra empresa. A DJR culpou a alta dos preços causada pela pandemia do coronavírus (Covid-19) e alega que pediu reequilíbrio financeiro do contrato para executar a obra.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Enquanto isso, pelo menos mais de 100 alunos da escola tiveram que ser remanejados para outra escola da rede municipal. A mudança tem gerado reclamações de mães e pais dos alunos.

A prefeitura contratou a DJR para a reforma da escola, com fornecimento de materiais, equipamentos e mão de obra. O contrato foi assinado por R$ 371 mil, via licitação na modalidade tomada de preço e as obras começaram em 26 de outubro do ano passado, com prazo de quatro meses.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Prefeitura diz que vai rescindir contrato com empresa – Foto: Marcelo Rocha/O Liberal

Questionada, a prefeitura respondeu que a empresa contratada pela gestão anterior abandonou a obra e informou que “as secretarias competentes estão providenciando a rescisão do contrato com penalização da construtora”.

O plano é convocar a segunda colocada na licitação – que pode ou não aceitar continuar o serviço pelo mesmo valor da vencedora, como determina a legislação.

“Os alunos foram remanejados para outras unidades da Rede Municipal, sem prejuízos. Se tudo correr bem com a rescisão e chamamento da segunda colocada, a perspectiva da Educação é que a obra seja concluída até o final de 2022”, encerra o Executivo.

Já a DJR de Oliveira revelou ao LIBERAL que realizava a obra, mas por conta da pandemia, os insumos extrapolaram o preço e a planilha do contrato não supria os custos da obra.

“Protocolamos pedido de reequilíbrio econômico financeiro ou a liberação da execução do objeto, já que a empresa não conseguiria arcar com os prejuízos da obra”, explica. A empresa diz aguardar retorno da prefeitura.

Classimais: clique aqui e confira as vagas anunciadas no classificado do LIBERAL.

Em contato com pais e mães de alunos da escola localizada no Jardim Bela Vista, a revolta é pela falta de respostas.

“Fomos transferidos a uma escola e ficamos por lá alguns meses e depois mandaram eles para uma escola que está vazia no Jardim do Lagos, bem distante. E não falam quando vai terminar a reforma”, conta mãe, que não quis ser identificada.

Ela afirma que há problemas com o ônibus escolar. “Já esqueceram crianças no ponto de ônibus por falta de monitor, os pais estão bem preocupados, muitos não confiam em mandar os filhos no ônibus e não podem buscar e levar em bairro muito longe”, desabafa.

Publicidade