19 de abril de 2021 Atualizado 18:18

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Atendimentos na Unidade Respiratória de Nova Odessa sobem 28% em duas semanas

Segundo a Secretaria de Saúde, 532 pacientes com sintomas respiratórios procuraram o posto nos últimos 14 dias

Por Marina Zanaki

04 mar 2021 às 17:44 • Última atualização 05 mar 2021 às 08:58

Prefeito realizou uma reunião com diversas pastas municipais para adotar medidas para preparar a rede de saúde para um iminente agravamento da pandemia - Foto: Prefeitura de Nova Odessa/Divulgação

A procura por atendimento na UR (Unidade Respiratória) do Jardim Alvorada, em Nova Odessa, aumentou 28% nas duas últimas semanas. Segundo levantamento realizado pela Secretaria de Saúde, 532 pacientes com sintomas respiratórios procuraram o posto nos últimos 14 dias, contra 414 no período imediatamente anterior.

Entre suspeitos e confirmados para o novo coronavírus, a cidade contabiliza nesta quinta-feira 33 moradores internados. Desses, 10 estão na UR e outros 23 em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) fora do município.

A cidade não conta com leitos intensivos e depende de vagas na Cross (Central de Regulação da Oferta de Serviços de Saúde) em hospitais de referência no Estado de São Paulo.

“Um fator de preocupação é que o prazo para obtenção de uma vaga em hospital de referência, que costumava ser de seis horas, já subiu para 72 horas ou mais nos últimos dias”, disse a prefeitura. Ao LIBERAL, a Secretaria de Saúde revelou que a espera tem chegado a quatro dias.

A prefeitura divulgou nesta quarta-feira a 86ª morte pelo coronavírus. A vítima era um idoso de 79 anos que morava no Jardim Alvorada. Ele estava na UR e faleceu na quinta-feira da semana passada, dia 25 de fevereiro. Ele sofria de cardiopatia e diabetes.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

No mês passado, a prefeitura abriu mais quatro leitos de urgência na Unidade Respiratória, possibilitando atender à demanda crescente das últimas semanas. O local tem capacidade para atender até 18 pacientes internados e recebendo oxigênio ao mesmo tempo, dos quais nove em respiradores mecânicos.

A Secretaria de Saúde disse que a situação municipal ainda está relativamente sob controle, mas espera que ocorra um aumento de casos e internações na cidade.

Em função disso, o prefeito de Nova Odessa, Cláudio José Schooder, o Leitinho (PSD), realizou na quarta-feira uma reunião com diversas pastas municipais para adotar medidas para preparar a rede para um iminente agravamento da pandemia.

“Estamos entrando numa fase muito difícil, com muitas cidades ‘pedindo socorro’, sem leitos. Nosso objetivo é preservar vidas. Vamos tomar todas as medidas ao nosso alcance para isso. A situação da pandemia é um problema sério no Brasil todo e tem me preocupado. Temos que conscientizar as pessoas para que o pior não aconteça, para que todo mundo se cuide, e a nossa Rede de Saúde tem que estar pronta”, justificou Leitinho.

Medidas
A prefeitura determinou reforço das campanhas para conscientizar a população sobre os cuidados sanitários. O município apelou para que os moradores fiquem em casa sempre que possível, usem máscara, higienizem mãos e superfícies de contato constantemente e evite aglomerações a todo custo.

O município também deu início a uma ação de conscientização de comerciantes e empresários sobre as restrições da fase vermelha, que entra em vigor no sábado. As orientações estão sendo realizadas pela Vigilância Sanitária e Guarda Civil Municipal.

A prefeitura e a câmara estudam voltar com restrições no atendimento presencial na fase vermelha, assim como ocorreu no ano passado.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O município também estuda abrir mais leitos com capacidade de oxigenação de pacientes em uma ala isolada do Hospital e Maternidade Municipal. Segundo a prefeitura, isso poderia ser feito rapidamente.

A cidade não descarta mobilizar outras unidades da rede para atendimento de pacientes respiratórios, e Leitinho chegou a sugerir um hospital de campanha regional com outras prefeituras.

Vacinação
Esta semana, Nova Odessa aderiu ao Consórcio Público para aquisição de vacinas contra a Covid-19 da FNP (Frente Nacional de Prefeitos) em busca de uma alternativa para aumentar o ritmo da vacinação.

Nova Odessa recebeu até o momento 1.999 primeiras doses e 780 segundas doses. Dentre as primeiras doses, foram seis lotes, sendo três lotes da CovonaVac/Butantan (1.270 doses) e dois da AstraZeneza/Oxford/Fiocruz (729 doses). Todas as segundas doses vieram em dois lotes do Butantan.

No total, foram recebidas 2.779 doses individuais até quarta-feira. A imunização prossegue diariamente no Ginásio do Santa Rosa, seguindo os protocolos e os grupos priorizados pelo Programa Nacional de Imunização.

Publicidade