13 de junho de 2021 Atualizado 13:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Sem vacinas, Hortolândia suspende aplicação de 2ª dose contra a Covid-19

Prefeitura alega não ter recebido novas doses do imunizante Coronavac; agendamentos serão refeitos

Por Redação

13 Maio 2021 às 09:59 • Última atualização 13 Maio 2021 às 19:12

A Prefeitura de Hortolândia suspendeu a aplicação da segunda dose da vacina Coronavac, contra o novo coronavírus (Covid-19), nesta quinta-feira (13). A medida foi tomada “por falta de envio de mais doses do imunizante pelo governo estadual”, segundo comunicado divulgado nas contas do município nas redes sociais.

“As pessoas agendadas para serem imunizadas com a 2ª dose da vacina devem aguardar contato da Secretaria de Saúde. A vacinação será retomada assim que o governo do Estado enviar mais doses da vacina ao município”, completa a publicação.

Até esta quarta-feira (12), 46.954 doses foram aplicadas no município – 29.967 primeiras doses e 16.627 segundas doses. Entre eles, estão profissionais de saúde, idosos nascidos até 1959, trabalhadores da educação com idade a partir de 47 anos, funcionários e idosos em asilos.

Outro lado

Em nota, a Secretaria da Saúde do Estado informou que enviou doses suficientes para aplicação da segunda dose da vacina a todos municípios do Estado, com imunizantes destinados aos públicos anunciados.

“Para o município de Hortolândia foram enviadas 60,3 mil doses, e este registrou 47 mil aplicações na plataforma VaciVida, o que evidencia um “saldo” de quase 13,2 mil doses que deveriam ter sido administradas pelo município”, aponta a pasta estadual.

A nota diz ainda que todas as grades de vacinas são enviadas a cada região e cidade “em tempo oportuno, em quantidade idêntica para aplicação de primeira e segunda dose. As grandes de distribuição levam em conta o público integral e são acompanhadas das recomendações para aplicação”.

Os municípios recebem as grades de vacinas para os públicos-alvo e são responsáveis programar as estratégias para aplicar nos públicos definidos no Plano Estadual de Imunização. “As prefeituras devem respeitar as faixas etárias e/ou grupos estipulados”.

Publicidade