Prefeitura de Hortolândia pede doações para o Fumbea

Quem quiser contribuir com o Fundo de Proteção e Bem-Estar Animal pode fazer doações ou adotar um dos 200 bichinhos disponíveis


O Fundo Municipal de Proteção e Bem-Estar Animal (Fumbea), de Hortolândia, está precisando de doações para manter os serviços realizados. Entre eles estão o acolhimento de animais em situação de rua e ações voltadas à proteção e o bem-estar animal.

Foto: Divulgação
Existem 200 bichinhos entre cães e gatos, machos e fêmeas, filhotes ou idosos esperando por um lar

A Prefeitura de Hortolândia iniciou uma campanha para lembrar a importância de contribuir com a causa, tanto em doação quanto na adoção dos cães e gatos acolhidos pela instituição.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

Atualmente, existem aproximadamente 200 bichinhos esperando para ganhar uma família, entre machos e fêmeas, todos sem raça definida, ou vira-lata. É possível adotar indo até o Fumbea, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, e está localizado na Rua Athanázio Gigo, 60, no bairro Chácaras Recreio 2.000.

Doar para o Fumbea é bastante simples. As doações poderão ser realizadas através de depósito ou transferência bancária para conta corrente 23309-9, da agência 6983-3, do Banco do Brasil.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

Confira abaixo alguns objetivos, ações e medidas realizadas pelo Fumbea:

  • Desenvolver ações de controle e identificação da população animal do município;
  • Resgatar animais em situação de vulnerabilidade;
  • Promover programas de adoção de cães e gatos;
  • Averiguar e orientar denúncias de maus tratos;
  • Promover programas contínuos de educação ambiental específicos para a proteção e bem estar animal;
  • Orientar o proprietário de um animal de estimação desde o momento da aquisição ou adoção sobre a maneira mais adequada de cuidar dele em todas as fases de sua vida.
  • Atendimento veterinário gratuito, (com limite de atendimento por dia);
  • Promover parcerias, convênios ou outras formas de cooperação entre unidade de administração.

* Estagiária Maíra Torres, sob supervisão de Talita Bristotti

 

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora