25 de outubro de 2021 Atualizado 21:27

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Investigação

Polícia tenta identificar motorista que atropelou deficiente física em Hortolândia

Vítima morreu no último sábado após uma infecção generalizada no pulmão, um dia após receber alta do hospital

Por Maria Eduarda Gazzetta

29 set 2021 às 07:27 • Última atualização 29 set 2021 às 09:41

Iracema Lima estava com a sobrinha de 10 anos, quando o triciclo em que estavam foi atingido - Foto: Reprodução

A Polícia Civil tenta identificar o motorista que atropelou uma deficiente física de 56 anos, no bairro São Jorge, em Hortolândia, no dia 19 de setembro. Iracema Lima estava com a sobrinha de 10 anos, quando o triciclo em que estavam foi atingido por um carro. O motorista fugiu do local sem prestar socorro às vítimas.

Após o acidente, Iracema foi encaminhada ao Hospital Municipal Mário Covas onde passou por cirurgia na perna e ficou em observação até a última sexta-feira (24), quando foi para casa.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

A cunhada da vítima, Geiza Costa dos Anjos que também é mãe de Lindsey Lima dos Anjos, criança que estava com a tia no momento do acidente, conta que no sábado pela manhã Iracema estava ofegante e não respondia quando os familiares falavam com ela.

Foi então que a levaram para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Rosolem, onde ela faleceu na noite de sábado devido a uma infecção generalizada no pulmão, conforme atestado médico e encaminhado em nota pela SSP (Secretaria de Segurança Pública) do Estado de São Paulo.

Geiza relata que a família espera uma solução para o caso. “A gente espera achar essa pessoa só para mostrar para ele que fez muito mal a nossa família e não prestou socorro. Queremos uma pista concreta de onde essa pessoa possa estar”, disse ela.

Iracema foi sepultada no fim da manhã desta segunda-feira (27) no Cemitério Parque das Flores, em Campinas.

“Hoje não paro de olhar minha filha e agradecer a Deus por ela estar ao meu lado, mas ao mesmo tempo é uma tristeza muito grande perder minha cunhada”, disse emocionada.

O acidente

De acordo com Geiza, a tia convidou Lindsey para dar uma volta em uma rua tranquila com o triciclo, próxima à casa deles, no fim da tarde do dia 19, quando foram atingidas por um carro branco e que estaria com um farol muito alto em cima delas.

O triciclo era usado para ajudar na locomoção da vítima, que tinha problemas na coluna e na perna.  

Triciclo era usado para ajudar na locomoção da vítima que tinha problemas na coluna e na perna – Foto: Arquivo Pessoal

“Minha filha não ficou tão debilitada quanto a minha cunhada, então ela viu que o rapaz estava muito agitado, desceu do carro, olhou e fugiu. Ele estava com uma mulher junto no veículo”, contou Geiza.

Lindsey foi encaminhada a UPA Jardim Amanda porque tinha quebrado o nariz, mas recebeu alta no mesmo dia após curativos e medicamentos.  

A SSP informou nesta terça-feira (28) que o caso segue em investigação pela Delegacia de Hortolândia.

Publicidade