11 de maio de 2021 Atualizado 08:33

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Duplo Homicídio

Polícia aguarda laudo de arma para decidir se pedirá prisão preventiva de policial

Previsão é de que laudo saia em duas semanas; ele é acusado de matar dois irmãos após discussão em Hortolândia

Por Pedro Heiderich

28 abr 2021 às 16:51 • Última atualização 28 abr 2021 às 16:52

A Polícia Civil de Hortolândia vai aguardar laudo para decidir se pedirá a prisão preventiva do policial José Vicente da Cruz, de 67 anos, suspeito de matar a tiros os irmãos Adelmo e Eclécio Ferreira de Lima, de 39 e 36 anos, no sábado (24).

Policial se apresentou na delegacia com o advogado e entregou arma – Foto: Reprodução

O policial se apresentou na delegacia junto de advogado, prestou depoimento e entregou a arma usada no crime na terça-feira (27). Ele foi indiciado formalmente por duplo homicídio qualificado e responderá em liberdade, pois não foi feito o flagrante. José Vicente era vizinho de Adelmo.

De acordo com o delegado assistente da Delegacia Seccional de Americana, José Luiz Joveli, a previsão é de que o laudo da arma usada por José Vicente – uma pistola da Taurus, calibre 9mm, de propriedade do policial – fique pronto em até duas semanas.

“Se o delegado pedir urgência pode sair até antes”, explica. O delegado responsável pelo caso é João Jorge Ferreira da Silva, do 1° DP (Distrito Policial). O LIBERAL não conseguiu falar com ele.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Ainda segundo Joveli, o inquérito policial do duplo homicídio encontra-se em andamento “aguardando oitivas de testemunhas e as conclusões dos laudos periciais dos Institutos de Criminalística e Medico Legal”.

O inquérito já se encontra em conclusão final, aponta Joveli, “mas depende das diligências faltantes, que serão fundamentais para que a Autoridade policial se manifeste quanto ao pedido de prisão do autor”.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Questionada sobre pedido de prisão preventiva e de urgência no laudo da arma, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo informou em nota que o caso segue em investigação.

RELEMBRE O CASO
José era vizinho de Adelmo e teria ido discutir com ele e o irmão, Eclécio, que bebiam em frente de casa, por conta de som alto, por volta das 19h do sábado (24), no Jardim América, momento em que efetuou os disparos com uma pistola e fugiu. Desde então, o policial era procurado, até que se entregou na terça.

Séries, filmes, games, quadrinhos: conheça o Estúdio 52.

Assim que concluído, o inquérito será entregue à Justiça e ao Ministério Público, podendo o juiz responsável determinar a prisão do policial. Os irmãos foram velados e enterrados na segunda-feira (26).

Ao LIBERAL, a família dos irmãos relatou ameaça anterior do policial com arma contra uma criança, por conta de barulho, e disse não acreditar na prisão do mesmo. A reportagem não conseguiu contato do policial José Vicente, que não teve o telefone registrado em boletim de ocorrência.

Publicidade