18 de maio de 2022 Atualizado 15:37

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Hortolândia

PF prende dois em Hortolândia durante investigação sobre mega-assalto em Araçatuba

Segundo a PF, o suspeito exercia importante papel na organização criminosa e atuou diretamente no roubo

Por Paula Nacasaki

29 Abril 2022, às 10h28 • Última atualização 30 Abril 2022, às 08h07

A PF (Polícia Federal) prendeu dois homens em Hortolândia nesta sexta-feira (29), durante operação que investiga o mega-assalto que ocorreu no município de Araçatuba, em agosto do ano passado.

Um dos presos é investigado por ter participado do mega-assalto em 2021. Segundo a PF, ele exercia importante papel na organização criminosa, estava presente na região central de Araçatuba no dia do crime e atuou diretamente no roubo às agências bancárias.

Durante a prisão do investigado um homem armado estava no local, tentou fugir, mas acabou detido. Ele ficou preso pois não tinha o porte de arma – Foto: Polícia Federal / Divulgação

Ainda segundo a PF, no momento da prisão do investigado, um outro homem estava no local das investigações. Ele estava armado e tentou fugir com a chegada dos federais, mas foi detido. O indivíduo não tinha porte de arma e acabou preso.

Durante as buscas no município a PF ainda apreendeu R$ 15 mil. Outro mandado de busca e apreensão também foi cumprido na cidade de Campinas, neste caso, não houve prisões.

Está é 9ª fase da operação que busca os envolvidos no mega-assalto em Araçatuba. No mês passado, também em Hortolândia, a PF prendeu outro suspeito, apontado como sendo o responsável por operar o maçarico utilizado não só para romper os obstáculos até a sala cofre, mas também os próprios cofres.

Um mandado de prisão foi cumprido e R$ 15 mil foram apreendidos em Hortolândia – Foto: Polícia Federal / Divulgação

Ao todo, a PF já prendeu 38 investigados e cumpriu 87 mandados de busca e apreensão.

“As investigações continuam, e a Polícia Federal permanece trabalhando incessantemente, voltada à identificação e responsabilização de todos os autores dos violentos atos, tendo sido identificados e presos a maioria dos integrantes da organização criminosa”, afirma o órgão.

Crime
Um grupo de criminosos, portando armas de uso restrito (fuzil calibre .50, fuzil calibre 5,56, fuzil calibre 7.62, espingardas, pistolas e revólveres), drones e sofisticado material bélico, arrombou os cofres das agências bancárias em Araçatuba.

Os participantes fizeram reféns e usaram pessoas como escudos humanos. Eles deixaram feridos e causaram as mortes de dois moradores da cidade. Colaborou Maria Eduarda Gazzetta.

Publicidade