Jardim Adelaide tem ação contra dengue neste sábado

Trabalho de arrastão com operação cata bagulho acontece nas ruas do Jardim Adelaide e Terras de Santo Antônio neste sábado, das 8h às 13h


Neste sábado (13), moradores do Jardim Adelaide e Terras de Santo Antônio receberão a visita de agentes de saúde durante a ação de arrastão contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika. O arrastão, que contará com cata bagulho, é uma estratégia adotada pelo município para reforçar o combate aos criadouros do mosquito, principalmente neste mês em que os casos positivos de dengue tiveram aumento considerável.

Em Hortolândia, dados da Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, apontam que há 81 casos positivos da doença e 371 pessoas aguardando resultados de exames. Foram 572 notificações desde o início do ano, com 120 casos descartados. No mesmo período do ano passado, eram 18 casos confirmados.

Foto: Prefeitura de Hortolândia / Divulgação
Arrastão contra a dengue será realizado na região do Jardim Adelaide neste sábado

Durante o arrastão, os agentes vistoriam quintais e casas em busca de recipientes que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito. Estes objetos são removidos e a população é orientada sobre as formas de prevenção. Desde o início do ano, a realização dos arrastões foi intensificada. Na última semana, o Jardim Boa Esperança recebeu a ação, que conta inclusive com apoio da secretaria de Serviços Urbanos, com a operação cata bagulho, que faz a remoção de móveis e entulho.

Conforme informações da Vigilância Epidemiológica, a situação em Hortolândia não é considerada epidemia. Porém, as ações de controle ao mosquito têm como objetivo evitar esta classificação. “A dengue tem um ciclo de que, a cada quatro anos, aumenta muito o número de casos positivos. A principal hipótese para o alto índice de pessoas doentes neste momento é a circulação de mosquitos infectados com a dengue tipo 2. Um grande número de pessoas já havia se infectado pelo tipo 1 e adquiriram imunidade. Porém, com o tipo 2 em circulação, pouca gente tem esta proteção”, justificou o diretor do Departamento de Saúde Coletiva da Prefeitura, Antônio Roberto Stivalle.

Para identificar se o paciente com Dengue está infectado com o tipo 2 da doença, é preciso que a pessoa procure a unidade de saúde mais perto de casa até o terceiro dia de sintomas. “Após este período, o exame que detecta a dengue não consegue mais diferenciar se é tipo 1 ou 2. O que acontece é que muita gente adoece e começa a se tratar em casa. Depois, com o agravamento dos sintomas é que procura a unidade de saúde”, destacou Stivalli.

As informações são da assessoria de comunicação da Prefeitura de Hortolândia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora