Familiares organizam vaquinha online para trazer corpos do Chile

Prima do homem que morava em Hortolândia iniciou mobilização; ela afirma que a família não tem condições financeiras para trazê-los ao Brasil


Uma vaquinha online está sendo realizada pela família dos seis mortos no Chile para financiar o translado dos corpos ao Brasil para serem velados. Um casal de Hortolândia estava entre as vítimas encontradas em um apartamento na área central de Santiago, no Chile, nesta quarta-feira (22).

Foto: Reprodução
Vaquinha online foi aberta nesta quinta-feira, com o objetivo de arrecadar R$100 mil

A iniciativa foi criada na manhã desta quinta-feira, através do site vakinha.com.br. Nele, as pessoas inserem seus dados pessoais e podem contribuir com qualquer valor – os pagamentos podem ser feitos via boleto bancário ou pelo cartão de crédito através deste link.

Foto: Facebook/Reprodução
Foi de Naomi a iniciativa de criar a vaquinha online

Jonatan Kruger Muniz e Adriane Padrilha Kruger residiam em Hortolândia há dois anos e meio – o homem chefiava o departamento pessoal do Instituto Adventista de Tecnologia (IATec). Foi da prima dele, Noemi Fortunato Nascimento, a ideia de criar a vaquinha online.

 

No perfil do site, ela escreve “precisamos de toda ajuda, pois a família não tem condições financeiras para trazer os corpos e fazer o velório. Uma tragédia em meio a dor de perder a mãe que estava sendo velada no Brasil”.

Outro trecho diz ainda que “todos morreram por inalação de monóxido de carbono” e que parentes estão tentando fazer com que as autoridades ajudem a trazer os corpos “o mais breve possível”. A meta é conseguir R$100 mil – até o momento, foram arrecadados pouco mais de R$4 mil (4,68% do total).

Em seu perfil no facebook, Naomi lamentou a morte do primo. “Coração está arrasado, meu primo querido, irmão de muitas bagunças quando criança. Meu Deus, que o senhor nos dê forças neste momento”, escreveu.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora