13 de junho de 2021 Atualizado 18:25

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

RESPOSTA

Estado rebate Hortolândia, diz que entregas foram suficientes e cita saldo negativo de 13 mil doses

Hortolândia suspendeu aplicação de segunda dose da CoronoVac alegando falta de envio do Estado

Por Pedro Heiderich

13 Maio 2021 às 16:58 • Última atualização 14 Maio 2021 às 18:26

O Governo do Estado de São Paulo rebateu a Prefeitura de Hortolândia e disse ter enviado lotes de vacinas contra o coronavírus (Covid-19) suficientes para a imunização e citou saldo negativo de 13 mil doses na aplicação do imunizante pelo município.

A nota foi enviada ao LIBERAL na tarde desta quinta-feira (13). A Prefeitura de Hortolândia suspendeu a aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac, no início do dia.

A medida foi tomada “por falta de envio de mais doses do imunizante pelo governo estadual”, segundo comunicado divulgado nas contas do município nas redes sociais.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“As pessoas agendadas para serem imunizadas com a 2ª dose da vacina devem aguardar contato da Secretaria de Saúde. A vacinação será retomada assim que o governo do Estado enviar mais doses da vacina ao município”, completa a publicação.

Até esta quarta-feira (12), 46.954 doses foram aplicadas no município – 29.967 primeiras doses e 16.627 segundas doses, aponta a prefeitura.

Saldo negativo
Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde afirma que enviou doses suficientes para aplicação da segunda dose da vacina a todos os municípios do Estado, com imunizantes destinados aos públicos anunciados.

“Para Hortolândia foram enviadas 60,3 mil doses, e este registrou 47 mil aplicações na plataforma VaciVida, o que evidencia um ‘saldo’ de quase 13,2 mil doses que deveriam ter sido administradas pelo município”, aponta.

A nota diz que as grades de vacinas são enviadas a cada região e cidade, com recomendações, “em tempo oportuno, em quantidade idêntica para aplicação de primeira e segunda dose, levando em conta o público integral”.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Os municípios recebem as grades de vacinas para os públicos-alvo e são responsáveis por programar as estratégias para aplicar nos públicos definidos no Plano Estadual de Imunização, encerra a Saúde.

A última remessa de CoronaVac que Hortolândia recebeu, segundo a prefeitura, foi em 27 de abril, com 1.260 doses.

“O Estado vem transferindo todas as falhas aos municípios, é necessário reduzir a propaganda e melhorar a prática”, critica a prefeitura, que diz que a conta do saldo do Estado soma os dois tipos de vacina. “AstraZeneca temos, CoronaVac que falta”.

Publicidade