13 de julho de 2020 Atualizado 22:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Polícia Civil

DIG de Americana faz sua maior apreensão de drogas no ano

DIG localizou 22,2 kg de entorpecentes numa casa em Hortolândia, no Jardim Firenze, e prenderam o dono do imóvel

Por Rodrigo Alonso

04 jun 2020 às 17:49 • Última atualização 04 jun 2020 às 17:52

A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Americana realizou nesta quinta-feira (4) sua maior apreensão de drogas desde o início deste ano. No período da manhã, a corporação localizou 22,2 quilos de entorpecentes numa casa em Hortolândia, no Jardim Residencial Firenze.

O dono da residência, situada na Rua Milão, estava no local e foi preso pelos agentes sob acusação de tráfico. Apelidado de Periquito, o homem tem 33 anos e disse aos policiais que trabalha como professor de academia.

Além de drogas, DIG apreendeu objetos ligados ao tráfico – Foto: Rodrigo Alonso / O Liberal

No imóvel, a DIG apreendeu 21,5 kg de maconha, 166 g de crack e 580 g de cocaína, além de 10 mil pinos vazios, seis celulares, uma balança de precisão, um caderno com anotações do tráfico e R$ 148 em dinheiro.

A corporação começou a monitorar a casa após receber uma denúncia anônima nesta quarta-feira (3), apontando que havia uma arma de fogo no local.

Nesta quinta, uma equipe abordou o proprietário da residência, que negou a existência da arma, mas confessou que estava de posse de entorpecentes. Os agentes encontraram as drogas na cozinha e na lavanderia, guardadas em caixas de papelão, mas não acharam nenhuma arma.

“Com o material arrecadado no imóvel, prosseguem as investigações, no sentido de saber a ramificação, as pessoas que estavam conectadas com ele e possíveis outras operações virão depois dessa”, afirmou o agente Emerson Siqueira, em entrevista coletiva.

Os investigadores apresentaram o caso ao delegado José Donizeti de Melo, que ratificou a ordem de prisão em flagrante. Na sequência, a DIG encaminhou o indiciado para a Cadeia Pública de Sumaré, depois de ele ter feito um exame cautelar no IML (Instituto Médico Legal) de Americana.

Segundo Emerson, Periquito já teve outras passagens pela polícia, pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma.