Definidos selecionados para cursos de qualificação profissional

Após telefonema para agendar horário, os selecionados precisam ir ao Hortofácil munidos de documentos originais para que sejam feitas as matrículas


A Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, divulgou nesta quarta-feira (21) a lista dos selecionados para os cursos de qualificação profissional oferecidos gratuitamente pelo município. A relação completa dos candidatos escolhidos está disponível do Diário Oficial Eletrônico, na edição 610.

Quem foi selecionado precisa ir até a sede do CQPP (Centro de Qualificação Pessoal e Profissional), que fica no prédio do Hortofácil, na Rua Argolino de Moraes, 405, na Vila São Francisco, para a realização da matrícula, após receberem um telefonema do Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária.

Foto: Prefeitura de Hortolândia / Divulgação
Sede do CQPP fica no prédio do Hortofácil

No dia e horário agendados, o candidato deve apresentar RG, CPF e Carteira de Trabalho originais, comprovante de endereço atualizado e contrato de locação ou declaração do proprietário do imóvel, se for o caso. O menores de idade devem estar acompanhados de um responsável legal.

A administração destaca que o não comparecimento para a efetivação da matrícula faz com que a pessoa perca sua vaga, que será repassada ao próximo candidato em ordem na lista de espera do processo de seleção.

Como a procura pelas vagas ofertadas foi grande, foi necessário realizar a seleção, que levou em conta critérios de renda, o número de pessoas na residência e as condições de moradia, sempre privilegiando o mais vulnerável.

Os cursos mais procurados foram “Assistente de RH”, com 600 inscritos, “Informática Básica”, que teve 271 interessados, “Informática e Tecnologia”, com 268 inscritos e, por fim, “Administração com ênfase em Empreendedorismo”, com 214 pessoas interessadas.

“Os cursos são importantes porque preparam os cidadãos para o mercado de trabalho, principalmente por se tratar de um público em vulnerabilidade social, que teria dificuldade de pagar por eles. O objetivo é que eles rompam com o ciclo de pobreza e entrem para o mercado de trabalho”, afirma o diretor do Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, Gérson Ferreira.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora