Casal de Hortolândia está entre os seis mortos no Chile

Jonathas Kruger Muniz e Adriane Padrilha Kruger se mudaram para a região há dois anos e meio; homem trabalhava no Instituto Adventista de Tecnologia


Um casal de Hortolândia está entre as seis vítimas que foram encontradas mortas em um
apartamento no centro de Santiago, capital do Chile, nesta quarta-feira (22). De acordo com o Jornal ‘La Nacion’, do país vizinho, a suspeita é de que um vazamento de gás tenha causado a tragédia.

Foto: Reprodução/Facebook
Casal estava em viagem para comemorar os 15 anos da sobrinha

Jonathas Kruger Muniz e Adriane Padrilha Kruger estavam no Chile para comemorar o aniversário de 15 anos de sua sobrinha, conforme revelou a Polícia Civil de Santa Catarina ao LIBERAL. A adolescente, o irmãoo dela e os pais também teriam morrido – a polícia ainda não confirma oficialmente a identidade dos envolvidos.

Muniz é natural de Florianópolis e estava na em Hortolândia há três anos e meio chefiando o departamento pessoal do Instituto Adventista de Tecnologia (IATec). Em nota, o órgão lamentou o falecimento do funcionário e informou que ele estava em período de férias.

“O IATec está oferecendo todo apoio aos familiares neste momento difícil e de profundo pesar. Como uma instituição cristã, confiamos em Deus e acreditamos na esperança da ressurreição e na breve volta de Jesus Cristo”.

A investigação está a cargo do subchefe da brigada de homicídios do Chile, Carlos Albornoz. Ele disse ao jornal chileno que os seis brasileiros ingressaram no país no último domingo, e que eles morreram no interior de um apartamento no sexto andar de um edifício residencial na Rua Santo Domingo.

Os bombeiros descobriram os corpos às 17h do horário local (18h de Brasília). Detetives estão entrevistando vizinhos, o proprietário do prédio e a pessoa que alugou o apartamento – a reserva foi feita pelo Airbnb.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora