Chuvas ficam 35% acima do esperado

Hortolândia foi a cidade da região que mais registrou acumulado no último mês do ano com 352 milímetros


O mês de dezembro fechou com acumulado de chuvas 35% acima do esperado para o período em toda a RPT (Região do Polo Têxtil). Nas cinco cidades, a expectativa era de 926,1 milímetros, porém, segundo dados levantados pelo LIBERAL, as chuvas registradas na região acumularam 1.254,4 milímetros. A previsão do tempo indica que a nebulosidade deve se manter até sábado, com pancadas a qualquer momento.

Hortolândia foi a cidade que mais registrou acumulado de chuva em dezembro. A Defesa Civil do município contabilizou, desde o início do mês, 352 milímetros de chuva. A quantidade supera em 85,2% a média esperada para o período, que era de 190 milímetros, conforme comparação dos últimos três anos. O volume de chuva registrado colocou a cidade em estado de atenção.

Já Sumaré, que decretou situação de emergência nas áreas afetadas pela cheia do Ribeirão Quilombo, registrou um acumulado de 312,8 milímetros. O total é 62,4% maior do que a expectativa, que era de 192,6 mm, de acordo com a Sala de Situação do Consórcio PCJ (Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí). [\img]Sumaré foi uma das cidades mais afetadas pelas chuvas dessa semana. Cerca de 1,5 mil pessoas ficaram desalojadas e a água invadiu centenas de imóveis nos bairros Três Pontes, Jardim Primavera, Picerno e São Domingos.

Nova Odessa, que também registrou áreas de alagamento, foi na contramão e registrou chuvas abaixo do esperado. Da expectativa (cerca de 196,6 milímetros), a cidade contabilizou um acumulado de 190,1 milímetros. No município, de acordo com a prefeitura, foram 150 casas atingidas pela cheia do Ribeirão Quilombo, sendo 60 com maior gravidade. Desde a madrugada de segunda-feira, equipes da prefeitura prestam assistência às famílias de seis bairros atingidos. Com a ajuda da população e de empresas da cidade, cerca de 150 famílias estão recebendo doações de roupas, material de limpeza, material de higiene pessoal, alimentos e móveis. O ponto de arrecadação de donativos é o CAS (Centro de Assistência Social), que fica na Rua Florianópolis, 305, no Jardim São Jorge.

Em Santa Bárbara d’Oeste, onde o acumulado registrado (242 milímetros) ficou 21% acima da expectativa (200 mm), a preocupação é com o Ribeirão dos Toledos. Embora não tenha transbordado, o local chama a atenção dos moradores. “A gente fica apreensivo com a situação”, descreveu a aposentada Ângela Helena Caetano, de 69 anos, que mora em frente ao ribeirão.

Segundo ela, o rio está cheio há vários dias e, caso uma chuva mais pesada caia sobre a cidade, ele pode transbordar. “Já entrou água uma vez aqui em casa, então a gente está sempre pronto para colocar tudo para cima”, reforçou. A Defesa Civil de Santa Bárbara d’Oeste, no entanto, garantiu que tem monitorado o local.

Em Americana, que teve chuvas 7% acima do esperado – o acumulado registrado foi de 157,2 mm, enquanto a expectativa era de 146,9 mm -, a situação mais grave ocorreu no começo da semana, quando a Rua Carioba e a Avenida Bandeirantes sofreram com o aumento da água do Ribeirão Quilombo.
Em Sumaré, a Odebrecht Ambiental, empresa responsável pelos serviços de saneamento do município, informou que o abastecimento de água foi normalizado.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora