18 de abril de 2021 Atualizado 20:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Fiscalização

Vigilância Sanitária autua três estabelecimentos em Campinas

Estabelecimentos foram flagrados em situações que descumprem as normas da fase emergencial do Plano SP

Por Milton Paes

01 abr 2021 às 18:06 • Última atualização 01 abr 2021 às 18:08

A fiscalização da Vigilância Sanitária de Campinas autuou nesta quarta-feira (31) uma drogaria, um salão de beleza e um estabelecimento que prestava serviço de fisioterapia. Os três estabelecimentos foram autuados por descumprimento das medidas sanitárias determinadas no decreto da fase emergencial do Plano São Paulo.

Prefeitura de Campinas segue com trabalho de fiscalização durante a fase emergencial – Foto: Prefeitura de Campinas / Divulgação

A drogaria foi multada por realizar o procedimento de testagem rápida para Covid-19 através de coleta por swab (haste tipo cotonete) de forma irregular. Os fiscais constataram que o local não tinha infraestrutura e nem autorização da Vigilância para fazer o teste. A farmácia também não contava com as medidas de segurança para controle de risco de transmissão do coronavírus.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Diante das condições encontradas, o órgão interditou a sala de serviços farmacêuticos da drogaria e determinou a suspensão imediata da realização de teste de Covid-19 no local. A empresa ainda estará sujeita ainda às demais penalidades previstas no Código Sanitário Estadual.

Além da drogaria, um salão de beleza foi autuado por estar funcionando neste período, enquanto um estabelecimento que prestava serviço de fisioterapia foi multado por não ter licença da Vigilância Sanitária para esta atividade.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

A Vigilância Sanitária percorreu os bairros do Jardim Proença, Centro, Jardim Santa Rita de Cássia, Chapadão, Jardim Aurélia e Jardim Novo Campos Elíseos.

Foram fiscalizados lanchonetes, supermercados, drogarias, academias e salões de beleza que receberam denúncias de funcionamento irregular na fase emergencial. Também foi realizada ronda em cinco bairros para identificar estabelecimentos não essenciais com atendimento presencial.

Publicidade