09 de maio de 2021 Atualizado 19:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Campinas

Toque de recolher aborda 467 veículos e 958 pessoas em 1º dia de operação em Campinas

Prefeitura pede que população só saia de casa entre 20h e 5h caso seja extremamente necessário; fiscalização não constatou festas

Por Milton Paes

19 mar 2021 às 13:32 • Última atualização 23 mar 2021 às 15:07

A Prefeitura de Campinas fechou um balanço do primeiro dia do toque de recolher mais restritivo em Campinas. Foram abordados 467 veículos e 958 pessoas foram orientadas sobre a restrição de circulação durante a fiscalização noturna.

Durante o período não foram constatadas atividades de festa clandestina e nem comércios abertos após as 20h. A ação, com caráter educativo, começou às 20h e foram realizados oito pontos de bloqueio na cidade.

Nesta sexta-feira (19), esse mesmo modelo de toque de recolher deve ser adotado pelas demais prefeituras da RMC (Região Metropolitana de Campinas). Isso inclui Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia.

Em Campinas, foram realizados oito pontos de bloqueio na cidade para informar sobre a proibição de circulação após as 20h – Foto: Adriano Rosa / Prefeitura de Campinas

Durante a operação em Campinas, os veículos eram parados e os motoristas orientados a voltar para casa. Caso necessário, será solicitado ao cidadão que apresente alguma comprovação de que ele estava na rua por motivos de trabalho ou para utilizar um serviço de saúde ou comprar um medicamento. Neste momento, não está prevista punição.

“O intuito da operação não é punir e nem restringir a circulação de pessoas. Não é uma limitação de locomoção porque Campinas não está em lockdown. A orientação é que as pessoas só saiam de casa em caso de necessidade de fato e não para lazer”, explicou o Secretário de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública de Campinas, Christiano Biggi.

Supermercados, padarias, lojas de conveniência só podem funcionar até as 20h, assim como o serviço de drive thru. Após este horário, só por meio de delivery.

Segundo o secretário Christiano Biggi, é importante que a população tenha consciência e não saia sem necessidade. “A situação do município é grave neste momento da pandemia. As ações restritivas podem contribuir muito para a melhoria do quadro de Campinas se houver a adesão da população”, analisa.

A ação será contínua e intensificada, diurna e noturna, até o dia 30 de março, conforme prevê o decreto municipal. Equipes da Vigilância Sanitária, Setec e Secretaria de Planejamento e Urbanismo vão verificar se comércios, bares e restaurantes estão cumprindo os protocolos sanitários vigentes. A fiscalização tem apoio da Guarda Municipal e da Polícia Militar.

Nas ações diurnas, 64 estabelecimentos comerciais foram vistoriados, 32 fechamentos e 12 intimações. Foi flagrado ainda um funcionário de um estabelecimento estava sem máscara, o que resultou em uma multa de R$ 3.030,88 pelo descumprimento das medidas sanitárias.

Reuniões e festas
O Setor de Inteligência da Guarda Municipal está monitorando festas clandestinas. O decreto municipal estabelece ainda punições para reuniões familiares com mais de dez pessoas.

Quando constatado as festas ou reuniões, a Guarda Municipal vai conduzir os organizadores para a delegacia e eles poderão responder por crime contra a saúde pública, conforme prevê o Artigo 268 do Código Penal.

Publicidade