19 de abril de 2021 Atualizado 17:12

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Campinas

No feriado, Prefeitura de Campinas lacra dez estabelecimentos e aborda 2,5 mil veículos

Entre os locais que foram lacrados está uma adega no Jardim São Fernando que, na noite de sábado (3), contava com 800 pessoas

Por Milton Paes

05 abr 2021 às 16:12

1.340 veículos foram parados nos bloqueios do toque de recolher durante o feriado de Páscoa - Foto: Prefeitura de Campinas - Divulgação

As ações do Toque de Recolher e da Barreira Sanitária realizadas em Campinas durante o feriado e final de semana, entre quinta-feira (1) e a manhã desta segunda-feira (5), contabilizaram 1.145 veículos abordados em barreiras sanitárias, 1.340 parados nos bloqueios do toque de recolher, 2.015 pessoas orientadas sobre as medidas sanitárias, além de 242 estabelecimentos fiscalizados, sendo 14 fechados e dez lacrados.

Entre os locais que foram lacrados está uma adega no Jardim São Fernando que, na noite de sábado (3), contava com 800 pessoas. O público foi imediatamente dispersado pela Guarda Municipal.

As fiscalizações também recolheram ao pátio 29 veículos, entre carros e motos neste mesmo período por, principalmente, infrações de trânsito, como estacionamento irregular, falta de documentação e direção perigosa.

Acompanhe a cobertura do LIBERAL sobre Campinas

Toque de Recolher

O Toque de Recolher começou em 18 de março e pretende restringir a circulação de pessoas entre 20h e 5h apenas para serviços essenciais. As operações consistem na implantação de bloqueios em vias de maior movimentação na cidade e têm o caráter educativo e de orientação. As blitzes são feitas diariamente pela Guarda Municipal, em parceria com as polícias Civil e Militar e devem ocorrer enquanto durar a Fase Emergencial em Campinas.

Durante as barreiras, os veículos são abordados e os ocupantes questionados sobre o motivo pelo qual estão na rua. As pessoas são orientadas a voltar para casa se estiverem na rua por uma razão que não seja emergencial. Não há multa ou punição.

Barreiras sanitárias

Barreiras se concentravam no período da manhã nos principais acessos a Campinas – Foto: Prefeitura de Campinas – Divulgação

Já as barreiras sanitárias tiveram início no dia 26 de março e terminaram neste domingo (4), que foi o último dia do feriado prolongado na Capital e Grande São Paulo. O objetivo destas blitzes era evitar que pessoas destas localidades circulassem em Campinas por um motivo que não fosse essencial ou de urgência. As ações foram realizadas em conjunto com os
20 municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC). Em Campinas, nesse período, 2.629 veículos foram interceptados. As barreiras se concentravam no período da manhã nos principais acessos a Campinas pelas rodovias que cortam a cidade.

Publicidade