18 de abril de 2021 Atualizado 08:54

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Campinas

Falta de pessoal dificulta abertura de leitos de UTI na Rede Mario Gatti

Campinas conta atualmente com 443 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19 nas redes pública e particular de saúde; 432 estão ocupados

Por Milton Paes

05 abr 2021 às 20:26

Rede Mario Gatti conseguiu acionar nesta segunda-feira (5) mais cinco leitos de enfermaria Covid no Hospital Ouro Verde - Foto: Decom / Divulgação

A dificuldade na contratação de pessoal, principalmente médicos e equipes de enfermagem, tem prejudicado a abertura de mais 10 leitos de UTI no Hospital Municipal Mário Gatti, em Campinas. Mesmo assim, a Rede Mario Gatti conseguiu acionar nesta segunda-feira (5) mais cinco leitos de enfermaria Covid no Hospital Ouro Verde. A expectativa é de que outros oito leitos de enfermaria entrem em operação na sexta-feira (8). Desta forma, o total de estruturas na unidade hospitalar chegará a 77 leitos de enfermaria.

“Estamos com muitas dificuldades na contratação, porque não há profissionais de saúde disponíveis no mercado. Esse hoje é o principal desafio para a abertura de novos leitos”, disse o presidente da Rede Mário Gatti, Sérgio Bisogni.

Segundo ele, a reativação de 36 leitos de enfermaria no Hospital de Campanha, instalado na sede dos Patrulheiros, também depende da contratação de recursos humanos.

Acompanhe a cobertura do LIBERAL sobre Campinas

“Estávamos com dificuldades para obter tanque de oxigênio, mas conseguimos uma empresa que irá instalar uma miniusina para garantir o fornecimento. Mesmo assim, não posso colocar os leitos em operação, sem os recursos humanos necessários”, afirmou.

A situação tem sido amenizada por uma redução de movimento nos gripários e centros de saúde que têm permanecidos abertos também nos finais de semana para receber pacientes com síndromes gripais e respiratórias. A medida conseguiu deixar os pronto atendimentos e prontos-socorros menos carregados para receberem os casos mais graves.

“Isso indica que um número menor de pessoas está precisando ser internada, reduzindo, assim, a pressão por leitos hospitalares”, disse Bisogni.

Os três Centros de Saúde de Campinas que ficaram abertos durante o feriado prolongado de Páscoa, entre sexta-feira (2) e domingo (4), atenderam 459 pessoas. A assistência foi exclusiva para pacientes com queixas respiratórias e sintomas gripais. Os Centros de Saúde São Bernardo, Vista Alegre e Costa e Silva, funcionaram das 7h às 17h.

Nos finais de semana anteriores 14 centros de saúde ficaram abertos. No final de semana dos dias 20 e 21 de março foram atendidos 2.015 pacientes com sintomas suspeitos de Covid nestes CSs. Já nos dias 27 e
28 de março, os 14 centros de saúde receberam 884 pessoas.

Casos de Covid

Sem atualização desde sexta-feira (2) devido ao feriado prolongado de Páscoa, o número de pessoas contaminadas com a Covid-19 disparou e chegou a 905 casos. Com isso, o total de pessoas que contraíram a doença desde o início da pandemia chega 82.846.

A cidade também registrou mais 29 óbitos. Foram 13 homens e 16 mulheres;
23 pessoas tinham doenças preexistentes e outras seis não tinham. Com relação à faixa etária, 18 tinham mais de 60 anos e 11 tinham entre 25 e
54 anos.

Vacinação

No total, Campinas já aplicou 198.289 doses da vacina contra a Covid-19.
Em primeira dose, a Saúde vacinou 141.637 pessoas; já os que tomaram as duas doses somam 56.652 pessoas.

Contaminação por bairros

Cinco bairros de Campinas lideram o ranking em contaminação e mortes. O Centro tem 2.238 casos e 72 óbitos. O Cambuí, bairro nobre da cidade, ocupa a segunda posição com 1.240 contaminados e 43 mortes. Na terceira posição, está o Cidade Satélite Iris com 922 casos e 41 óbitos. Na seqüência vem Jardim Chapadão com 896 casos e 37 mortes e Jardim Nova Europa com 762 pessoas contaminadas e 26 óbitos. As informações fazem parte do Painel Covid-19 – Monitoramento de Dados de Campinas.

Ocupação de leitos

Campinas conta nesta segunda-feira, com 443 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19 nas redes pública e particular de saúde.
Deste total, 432 estão ocupados, o que corresponde a 95,53%. Há 11 leitos livres, todos na rede privada. No SUS Municipal são 157 leitos e todos estão ocupados. No SUS Estadual são 40 leitos no HC da Unicamp e todos também estão ocupados. Na Rede particular são 246 leitos, dos quais 235 estão ocupados, o que equivale a 95,53%. Há 11 leitos vagos. Em enfermaria Covid há 494 pessoas internadas.

Há 109 pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) à espera de leitos de enfermaria e de UTI no SUS municipal. São 72 pessoas à espera de leitos de UTI Covid e 37 aguardando leitos de enfermaria Covid.

Publicidade