13 de junho de 2021 Atualizado 15:57

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

HABITAÇÃO

Em Campinas, mercado de loteamentos ganha força

Desempenho positivo do mercado de loteamentos em Campinas está se consolidando também em 2021

Por Milton Paes

05 Maio 2021 às 13:53

Área do empreendimento Bela Aliança, em Campinas - Foto: Divulgação

A pandemia da Covid-19 trouxe muitas reflexões sobre a forma de morar. Nesta linha, os imóveis horizontais distantes dos aglomerados urbanos e localizados próximos a áreas verdes, com grandes espaços comuns para convivência, acabaram por evidenciar uma tendência atual de morar bem nas grandes cidades.

A realidade do home office levou à busca de se destinar um local específico para esta nova realidade do mercado de trabalho. Com isso, o setor da construção civil segue em alta mesmo com a pandemia. Além de gerar empregos também foi registrado um aumento na procura de imóveis.

O mercado de loteamentos em Campinas e região tem se destacado na construção civil. Segundo o último levantamento feito pelo Secovi-SP, sindicato da habitação, na pesquisa “Mercado de Loteamentos do Estado de São Paulo”, somente no primeiro semestre do ano passado foram comercializados 4.172 terrenos na região de Campinas.

No valor global de vendas, as cifras totalizaram R$ 609 milhões. O volume de negócios, que configura a liderança da região no Estado, é ainda mais notável quando se considera um ano marcado por um cenário econômico nebuloso diante da pandemia de Covid-19. O desempenho positivo do mercado de loteamentos em Campinas está se consolidando também em 2021.

Dentro do mercado de loteamentos, o conceito de bairro planejado ganha cada vez mais força em Campinas. O Bela Aliança Bairro & Parque, localizado na Avenida John Boyd Dunlop, na região do distrito do Campo Grande em Campinas conta com três fases residenciais, cada uma com 520 lotes de 250 m² cada. O empreendimento terá também uma fase de lotes comerciais.

Plínio Di Giaimo, diretor de vendas e marketing do Bela Aliança, em entrevista ao LIBERAL, diz que as vendas estão em alta mesmo com a pandemia. “O momento que a gente está é de crescimento. A tendência de o cliente buscar um lote maior para poder fazer uma casa maior está diretamente ligada à necessidade do home office e diretamente ligada à intenção de fazer uma área de lazer com verde que possa proporcionar mais qualidade de vida para a família”, comenta.

A Construtora e Incorporadora Nogueira Porto, em Campinas, que está há 40 anos no mercado de construção civil, também tem focado fortemente no mercado de loteamentos. O diretor da Nogueira Porto, Eduardo Porto, disse ao LIBERAL que a empresa tem prospectado áreas em um raio de 200 km a partir de Campinas.

“Faz 40 anos que construímos casas de alto padrão e agora estamos loteando. Fizermos muitos prédios, condomínios de casas, mas o nosso foco são os loteamentos. Neste momento estamos com dois loteamentos em Paulínia, no bairro Betel, mas estamos construindo várias casas em Campinas. A gente também constrói fábricas.Estamos entrando em concorrências de algumas fábricas que vão ser construídas próximo de Viracopos”, conta.

A Nova Cipasa, segunda maior loteadora do Brasil, apresentou um crescimento geral de 150%, com 1100 lotes vendidos no Brasil, e projeta um crescimento de 100% para 2021 no Brasil. A empresa vendeu em 2020 as últimas unidades do Urban Parque em Campinas.

Ao LIBERAL, o diretor da Nova Cipasa, Rogério Riquelme, revelou que também prospecta áreas em Campinas e região.  “Em Campinas a gente tem duas áreas em estudo. Temos contratos fechados de áreas em Piracicaba, Jaguariúna e Hortolândia. A gente quer fazer coisas novas em Campinas com foco em loteamentos. As pessoas cansaram de morar em apartamentos e querem morar em casas com uma área maior e qualidade de vida”, diz.

Publicidade