11 de maio de 2021 Atualizado 09:57

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Preparados

Defesa Civil de Campinas inicia Operação Estiagem no sábado

Época do ano é marcada por queimadas, baixa umidade relativa do ar e baixa vazão dos mananciais

Por Milton Paes

29 abr 2021 às 08:07 • Última atualização 29 abr 2021 às 18:25

A Operação Estiagem 2021 começa no próximo sábado (1º) e segue até 30 de setembro em Campinas. A ação ocorre em função desta época do ano ser marcada por queimadas em áreas de vegetação, baixa umidade relativa do ar, quedas bruscas de temperatura e baixa vazão dos mananciais.

A coordenação da operação é da Defesa Civil e o Comitê Gestor da Operação é constituído por várias secretarias e autarquias municipais.

Servidores realizaram treinamento para a operação – Foto: Adriano Rosa / Prefeitura de Campinas

A expectativa do diretor da Defesa Civil de Campinas, Sidney Furtado, é que a Operação Estiagem deste ano fique dentro da normalidade, talvez até com menos queimadas do que no ano passado.

“A partir de maio começa a época de estiagem e agosto geralmente é o mês mais crítico. Mas como não há previsão de eventos climáticos, como o El Nino, que possam intensificar o período de seca, esperamos que a Operação siga dentro da normalidade”, avalia.

Em Campinas, a lei 10.024 de 2020 proíbe provocar incêndios intencionais para preparar terreno ou limpeza de mato e lixo orgânico com multa a partir de R$ 19 mil para os infratores.

“As pessoas não devem fazer queima de lixo ou resíduo em residência ou terreno. Devemos salientar também que a soltura de balões é crime ambiental e os responsáveis podem ser denunciados pelo número 181”, reforça o diretor da Defesa Civil de Campinas, Sidnei Furtado.

As secretarias do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e de Serviços Públicos ficam responsáveis pela aplicação de penalidade para quem deliberadamente provocar um incêndio.

Em 2020, de maio a setembro, foram 268 focos de queimadas durante a Operação Estiagem no município e a Defesa Civil fez 579 vistorias preventivas de locais de risco de incêndio em vegetação.

Os números foram mais elevados do que em 2019, quando de maio a setembro foram registrados 192 focos de queimadas e realizadas 454 vistorias preventivas.

Novidades

A novidade para este ano é o uso do Sistema de Informação em Saúde Silvestre (SISS-Geo), da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), nas vistorias preventivas pelos agentes da Defesa Civil em conjunto com a Secretaria de Saúde e a Unidade de Vigilância de Zoonoses, contribuindo com informação antecipada da ocorrência da circulação de doenças em animais silvestres antes que possam afetar os humanos.

A Defesa Civil fará o monitoramento de focos de incêndio por meio de imagens de satélite do Sistema de Monitoramento de Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais e também por meio de vistorias preventivas dos agentes em áreas de risco de queimadas.

Caso seja constatado um incêndio, a Defesa Civil, além de ir ao local, também acionará outros órgãos, como o Corpo de Bombeiros, para atuar no combate ao fogo.

Durante a Operação Estiagem 2021, a Defesa Civil vai também emitir alertas sobre a umidade relativa do ar (URA), que está dividido em três níveis: estado de atenção (URA entre 20 e 30%), estado de alerta (URA entre 12 e 20%) e estado de Emergência (URA abaixo de 12%). O órgão ainda vai alertar sobre a baixa temperatura quando o termômetro marcar abaixo de 13ºC.

Treinamento

Na última terça-feira (27), os agentes da Defesa Civil de Campinas fizeram uma capacitação de combate a incêndio, como parte da preparação para a Operação Estiagem 2021. O encontro reuniu 25 servidores da Defesa Civil e também da Secretaria de Serviços Públicos e da Fundação José Pedro de Oliveira, gestora da Mata Santa Genebra.

O treinamento teve a colaboração do Corpo de Bombeiros e o apoio da Secretaria de Serviços Públicos, Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) e Fundação José Pedro de Oliveira.

Publicidade