08 de março de 2021 Atualizado 14:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

COVID-19

Com rede lotada, Campinas anuncia mais 14 leitos para Covid-19

Leitos serão contratados na rede de saúde particular na cidade, para dar conta da demanda por atendimentos

Por Milton Paes

22 fev 2021 às 16:03

Anúncio foi feito por Lair Zambon, secretário de saúde, durante uma transmissão ao vivo pelas redes sociais - Foto: Carlos Bassan - Prefeitura de Campinas

O secretário de Saúde de Campinas, Lair Zambon, anunciou nesta segunda-feira (22) que a prefeitura vai contratar mais 14 leitos de UTI na rede particular para atender a pacientes com Covid-19.

A medida ocorre em meio ocupação máxima dos leitos sob responsabilidade da prefeitura para tratar a doença no município.

O anúncio ocorreu durante uma transmissão ao vivo pelas redes sociais em que o prefeito Dário Saadi (Republicanos) também informou que a cidade terá fase vermelha entre 21h e 5h entre esta terça-feira (23) e o dia 1º de março.

Em relação aos leitos, serão quatro contratados na Casa de Saúde, três no Hospital Samaritano e sete na Santa Casa.

Acompanhe a cobertura do LIBERAL sobre Campinas

Esses leitos serão contratados com verba destinada pelo Governo do Estado no valor de R$ 1,6 mil e contrapartida da Prefeitura de Campinas de R$ 800 totalizando R$ 2,4 mil por leito.

Com isso, a diária dos 14 leitos contratados na rede particular vai custar R$ 33,6 mil, sendo R$ 22,4 mil repassados pelo Estado e R$ 11,2 mil pela Prefeitura de Campinas.

Conforme o LIBERAL havia antecipado, o Hospital das Clínicas (HC) da Unicamp vai ampliar em mais 10 leitos UTI Covid. Campinas terá mais 24 leitos de UTI Covid chegando a 151 leitos de UTI Covid no total na rede pública.

Balanço

A Secretaria Municipal de Saúde informou que a cidade registrou mais 497 casos de Covid, totalizando 67.635 pessoas contaminadas. Também foram registrados oito óbitos e a cidade agora soma 1.809 mortes por Covid-19.

Entre os óbitos estão seis homens e duas mulheres. Todos tinham doenças pré-existentes e mais de 60 anos. Os óbitos ocorreram entre 9 e 20 de fevereiro.

Publicidade